Educação em casa dispara nos EUA enquanto a pandemia fecha escolas - Plataforma Media

Educação em casa dispara nos EUA enquanto a pandemia fecha escolas

Diante do prolongado fechamento das escolas devido à pandemia de coronavírus, muitos pais americanos optaram por se transformar em professores e recorrer à educação em casa para garantir que o aprendizado de seus filhos continue.

Também conhecida como “homeschooling”, a educação em casa disparou quando o vírus provocou o fechamento de escolas em todo o país em março de 2020, segundo a Associação Nacional de Educação em Casa (NHSA), com sede em Colorado (Denver, centro). 

O número de crianças que recebem aulas em casa nos Estados Unidos passou de entre quatro e cinco milhões em 2019 para quase 10 milhões no ano passado, de acordo com estimativas da NHSA.

Quase 51 milhões de estudantes, do o jardim de infância até o ensino médio, deveriam ter frequentado as escolas públicas depois do verão (hemisfério norte, inverno no Brasil) de 2020, mas a maioria das escolas optou pelo ensino online.

Muitos pais não querem que seus filhos passem o dia olhando para uma tela, porque acreditam que é ruim para sua saúde, ou porque é muito difícil supervisionar as aulas online, disse à AFP Andrea Cubelo-McKay, presidente da organização.

Por outro lado, algumas comunidades religiosas educam seus filhos em casa. Este tipo de instrução permite uma certa “flexibilidade”, afirma Strokes, de 37 anos, que começou a educar a filha em sua casa em Virgínia.

“Eu decido quando começa a escola, quando termina nosso dia, decido quando descansamos”, disse.

Ela se ocupa de todas as disciplinas do plano de estudos – leitura, escrita, ciências e matemática – para que sua filha Isabelle não fique para trás em relação aos seus colegas de classe, mas se concentra no que considera mais importante.

– Um “desafio” –

Para o presidente da NHSA, J. Allen Weston, a transição pode ser “um desafio” para os estudantes acostumados com a escola tradicional. 

Há uma “grande diferença” entre o ensino em casa e as lições virtuais, disse à AFP.

Também é difícil para os pais, que devem conciliar seu trabalho com o papel de professor, enquanto carecem de pontos de referência para o rendimento, disse Cubelo-McKay. 

“Todo dia é diferente e desafiador”, afirmou Strokes. “Uma das crianças terá um dia bom, enquanto a outra… pode não cooperar, algumas matérias são mais difíceis de ensinar do que outras”.

Nos Estados Unidos foi lançada uma campanha de vacinação em massa para professores, o que deve permitir a reabertura das escolas de forma mais segura. 

As cidades de Nova York, Los Angeles e Chicago, com os três maiores distritos escolares do país, têm planos para reabrir gradualmente, mas alguns pais resistem levar seus filhos de volta à escola no próximo ano. 

Artigos relacionados
MundoPolítica

Governador de Nova York acusado de assédio sexual por segunda mulher

MundoPolítica

Trump fará primeiro discurso público após deixar presidência

EconomiaMundo

Tratado com Canadá e México será prioridade para os EUA

EconomiaMundo

Dólar digital poderia ser benéfico para a economia dos EUA

Assine nossa Newsletter