Governo de SP já discute opção de adiar segunda dose da Coronavac

Governo de SP já discute opção de adiar segunda dose da Coronavac

Debate ocorre no Centro de Contingência, mas depende da eficácia entre inoculações do imunizante

O governo de São Paulo abriu o debate sobre a possibilidade de ampliar ao máximo a aplicação da primeira dose da Coronavac, vacina da Covid-19 de origem chinesa que será fabricada pelo Instituto Butantan, postergando a segunda injeção do imunizante.

A Coronavac terá seu pedido de registro feito à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na quinta (7).

A hipótese começou a ser discutida no Centro de Contingência do Coronavírus, órgão criado em fevereiro do ano passado e que reúne 20 especialistas do setor público e privado. A ideia não passou pelo Butantan e não configura nenhuma decisão ainda.

Ela depende de determinar exatamente a eficácia do fármaco entre as duas doses previstas, com espaço de 14 dias, para estimular uma resposta imune contra o novo coronavírus.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Artigos relacionados
LifestyleMundo

Viveu três meses em aeroporto dos EUA porque tinha medo da covid-19

PolíticaPortugal

Proibida venda ou entrega ao postigo exceto comida e permanência em jardins

PortugalSociedade

Portugal é o país com maior número de novos casos por milhão de habitantes

Portugal

Portugal regista novo máximo de mortes e de internamentos por Covid-19

Assine nossa Newsletter