Ex-director de grupo financeiro chinês condenado à morte por corrupção e bigamia

Ex-director de grupo financeiro chinês condenado à morte por corrupção e bigamia

Um antigo presidente do conglomerado financeiro chinês Huarong foi ontem condenado à pena de morte por “corrupção e bigamia”, informou hoje um tribunal chinês. Lai Xiaomin foi considerado culpado de obter o equivalente a 1,79 mil milhões de yuan em subornos

As quantias eram “extremamente grandes e as circunstâncias particularmente graves, e com intenções extremamente maliciosas”, apontou um tribunal de Tianjin, no norte do país. O réu também foi condenado por bigamia, por ter “vivido muito tempo com outras mulheres”, fora do casamento, e das quais teve filhos ilegítimos.

Em Janeiro de 2020, Lai fez uma confissão, que foi transmitida pela cadeia televisiva estatal CCTV. As imagens de um apartamento em Pequim, que se acredita pertencer a Lai, com cofres e armários cheios de maços de dinheiro, foram também amplamente divulgadas pela imprensa.

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
ChinaPolítica

Luta contra a corrupção está longe de terminar

EconomiaMundo

Corrupção impede Guiné Equatorial de receber mais verbas do FMI

AngolaSociedade

Manuel Caterça acusado de desviar mais de 10 mil milhões de kwanzas da Elisal

AngolaPolítica

Dinheiro recuperado em Angola deve beneficiar "visivelmente" a população

Assine nossa Newsletter