O Natal numa mesa macaense - Plataforma Media

O Natal numa mesa macaense

Dias frios, vitrines de lojas e ruas decoradas com motivos natalícios, crianças felizes. Já “cheira” a Natal. Em Macau também.

Os macaenses, na sua maioria católicos, cumprem quase todas as tradições natalícias portuguesas. Juntam-se em família na consoada e no almoço de dia 25, trocam presentes, decoram a casa, e vão à Missa do Galo. As influências dos pratos natalícios portugueses numa mesa macaense estão bem presentes, mas encontramos algumas curiosidades.  

É tradição macaense apresentar uma mesa “farta” quando se recebem visitas em casa. E o Natal não foge à regra. Antigamente a consoada era celebrada com simplicidade, devido à abstinência (a não ingestão de carnes até à ceia de Natal). A refeição antes da Missa do Galo era composta apenas por Sopa Lacassá (um caldo agridoce de camarões com massa de farinha de arroz) e Empada de Peixe, um prato de aspecto rústico feito de massa e recheio de peixe temperado com especiarias. 

Empada de Peixe

Ingredientes do recheio
750g de qualquer peixe de carne firme, 4 c. de chá de cominho em pó, 2 c. de chá de coentro em pó, 2 c. de chá de açafrão em pó, 2 c. de chá de alho picado, 4 cebolinhas picadas, 20 azeitonas pretas, 50g de pinhões torrados, ¼ xícara de xerez seco, 1 c. de sopa de açúcar, 3 c. de sopa de óleo, ¼ xícara de água, 2 c. de chá de azeite, sal e pimenta q.b.

Preparação do recheio
Frite o peixe em 2 c. de sopa de óleo até ficar crocante. Reserve. Frite o alho e a cebolinha no óleo restante, adicione os temperos secos, sal e pimenta e frite por 3 minutos, mexendo sempre. Volte a colocar o peixe frito na frigideira e misture tudo bem. Adicione os pinhões e as azeitonas e junte o xerez, o açúcar e a água. Por fim, acrescente o azeite. Deixe no frigorífico durante a noite. 

Ingredientes da massa
500g de banha de porco, 1kg de farinha, 9 gemas de ovo, 3 claras de ovo, ¼ xícara de conhaque ,1 ½ xícara de açúcar, 1½ c. de chá de fermento em pó, 1½ c. de chá de sal, 100g de amêndoas torradas moídas.

Preparação da massa
Misture a farinha, o fermento, o açúcar e o sal numa tigela. Ferva a banha numa panela e junta à mistura de farinha, mexendo bem. Quando esfriar um pouco, adicione as gemas e as claras de ovo combinadas e levemente batidas, amassando-as manualmente até obter uma massa macia. Junte as amêndoas moídas e, por último, o conhaque. Separe a massa em duas metades iguais e, de seguida, divida uma delas em porções mais pequenas. Molde as massas em formas de torta e recheie com a mistura de peixe que deve estar à temperatura ambiente. Cubra as tortas com a restante massa e leve ao forno a 180°C por 45 minutos até dourar.

Consoada e Almoço de Natal

Hoje em dia, a tradição ainda se mantém. O momento alto das celebrações são a ceia e o almoço do dia de Natal. A mesa é repleta de carnes do Tacho e da Capela e de doces, quebrando o jejum dos dias anteriores.

O Tacho é parecido com o cozido português, mas feito com presunto e chouriço chineses em substituição dos enchidos. A Capela, um dos pratos mais populares da gastronomia macaense, trata-se de um assado extremamente aromático e de confecção fácil, com a carne magra e tenra da perna do porco.

Capela 

Ingredientes
1 kg de carne de porco magra, 250g de queijo ralado, 50g de azeitonas picadas, 6-8 tiras finas toucinho gordo, ovos inteiro, 2 gemas, 10g de miolo de pão demolhado e espremido, pão ralado q.b., sal, pimenta, limão.

Preparação
Pica-se a carne de porco e coloca-se numa malga. Tempera-se com sal, pimenta e gotas de limão. Mistura-se bem com os restantes ingredientes, deixando apenas de fora um pouco de queijo ralado, as 2 gemas de ovo e as tiras de toucinho. Monta-se a capela em forma de anel.

Coloca-se numa forma levemente oleada, enfeitada com as tiras de toucinho, pintada com as gemas batidas e polvilhada com o pão ralado e queijo. Assar em forno moderado cerca de 45 minutos, deixando secar bem o molho que a carne largar e crosta aloirar. 

Doces

Mas não há Natal sem doces. Uma perdição para muitos, os doces são os verdadeiros reis em qualquer mesa da quadra natalícia. 

Os doces macaenses são também de inspiração portuguesa. Não faltam bolo-rei, sonhos e rabanadas. Também se apreciam Coscorões, embora completamente diferentes dos portugueses. E come-se Cake, um bolo de inspiração inglesa à base de frutos secos, embebido em aguardente que é depois queimado.

Mas há a realçar outras especialidades macaenses que se diferenciam pela sua originalidade. Os Genetes que se derretem na boca, o Álua de origem indiana e que os macaenses chamam carinhosamente de colchão do menino Jesus (com amêndoas), o Ladu (de farinhas de feijão e de arroz glutinoso) e os Cabelos de noiva.

Genetes

Ingredientes
220g de manteiga macia, 6 gemas de ovo, ¾ xícara de açúcar, 1 c. de chá de fermento, 1 c. de chá de baunilha, 450g de fécula de milho. 

Preparação
Coloque todos os ingredientes num processador e, uma vez misturado, forme tubos longos usando um saco de pasteleiro. Corte pedaços de 3 cm na diagonal e leve ao forno por 20 minutos.

Dia 26 de dezembro

A última curiosidade gastronómica natalícia chama-se Diabo. Comido no dia 26 de dezembro, trata-se de um refogado picante feito com as sobras de carnes servidas na véspera. Uma espécie de ‘roupa velha’ de carnes desossadas e reduzidas a pedaços.

O nome deste prato poderá ser sugestão do calor ‘infernal’ do seu picante, ou das cores vermelho-amareladas a sugerir labaredas.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MacauPlataforma Sabores

Governo de Macau lança base de dados da cozinha macaense

MacauPlataforma Sabores

Gastronomia macaense: Desafio à diáspora já recebeu três participações

LifestyleMacau

Plataforma de Sabores e Turismo de Macau juntos pela gastronomia macaense

Assine nossa Newsletter