Hong Kong: oito ex-deputados e ativistas pró-democracia detidos - Plataforma Media

Hong Kong: oito ex-deputados e ativistas pró-democracia detidos

A polícia de Hong Kong deteve hoje oito ex-deputados e ativistas pró-democracia pela organização e participação numa manifestação não autorizada contra a controversa lei da segurança nacional, em 01 de julho.

Os antigos deputados pró-democracia Wu Chi-wai, Eddie Chu e Leung Kwok Hung foram detidos em casa por acusações relacionadas com a organização e participação no protesto, de acordo com mensagens publicadas nas suas páginas na rede social Facebook.

A polícia de Hong Kong informou, em comunicado, que deteve oito homens com idades compreendidas entre os 24 e os 64 anos por incitarem, organizarem e participarem numa assembleia não autorizada.

As detenções, que incluem ainda o ativista Tsang Kin-shing, de 64 anos, e os conselheiros distritais Andy Choi e Lancelot Chan, estão relacionadas com a participação numa manifestação em 01 de julho, proibida pelas autoridades.

Tradicionalmente, é realizada uma marcha todos os anos nesse dia, data em que a soberania sobre Hong Kong foi tranferida do Reino Unido para a China, em 1997. O protesto deste ano foi proibido, com as autoridades a citarem riscos para a saúde, decorrentes da pandemia de covid-19.

Milhares de pessoas desafiaram a proibição das autoridades para assinalar a efémeride, em protesto contra a lei de segurança nacional imposta por Pequim, que entrara em vigor no dia anterior.

As detenções de hoje seguem-se às de mais oito pessoas, na segunda-feira, acusadas de participar num protesto na universidade, em 19 de novembro.

Três das pessoas detidas na segunda-feira são suspeitas de violar a lei de segurança nacional, ao “incitar à secessão”.

No final de junho, a China impôs uma lei da segurança nacional à região semiautónoma para punir atividades subversivas, secessão, terrorismo e conluio com forças estrangeiras com penas que podem ir até à prisão perpétua.

O diploma foi denunciado pelos Estados Unidos, UE e organizações não-governamentais de defesa dos direitos humanos, por considerarem que põe em causa a autonomia do território e ameaça as liberdades fundamentais, ao abrigo do princípio “um país, dois sistemas”.

Desde a entrada em vigor, em 30 de junho, têm sido realizadas numerosas rusgas policiais e detenções de ativistas, forçando muitos a exilar-se, para evitar represálias por atividades que podem constituir um crime ao abrigo da nova legislação.

Related posts
Hong Kong

Magnata Jimmy Lai viu negada fiança em caso de fraude por risco de fuga

ChinaHong Kong

Mais famoso ativista pró-democracia em Hong Kong é condenado a 13 meses de prisão

ChinaHong Kong

Sem remorsos, Carrie Lam recupera confiança para liderar Hong Kong

ChinaHong Kong

Hong Kong: No Ocidente ignora-se o conceito "um país" e distorce-se o significado "dois sistemas"

Assine nossa Newsletter