Covid-19: Quase metade dos casos positivos em Moçambique são assintomáticos - Plataforma Media

Covid-19: Quase metade dos casos positivos em Moçambique são assintomáticos

O Ministério da Saúde de Moçambique divulgou ontem um relatório da análise da situação epidemiológica no país.

O relatório revela que cerca de 45% dos moçambicanos infetados pelo novo coronavírus são assintomáticos. Num total de 16.326 casos positivos registados (até ao momento da divulgação), 45% não apresentam sintomas, 35% apresentam sintomas leves, 16% tem sintomatologia moderada, havendo ainda 3% de positivos sem informações e 1% com sintomas graves.

Moçambique tem o menor número de óbitos por milhão de habitantes da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) , segundo os dados das autoridades de saúde. A lista continua a ser liderada pela África do Sul.

Desde o primeiro caso de Covid-19 no país, registou-se 136 óbitos, enquanto que 14.429 das pessoas já foram dadas como recuperadas (88%).

De acordo com o documento, todas as províncias moçambicanas têm casos de internamento por covid-19, sendo a cidade de Maputo, capital do país, a que tem o maior número, com 564, e a província de Niassa, no norte, o menor número, com apenas um caso.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.535.987 mortos resultantes de mais de 67 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 53.856 mortos confirmados em mais de 2,2 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
MundoSociedade

Contágios em África vão aumentar "exponencialmente" durante Natal e fim de ano

EconomiaMoçambique

OE2021: Os setores que devem liderar o crescimento em Moçambique

MoçambiqueSociedade

Governo moçambicano cria visto de entrada no país para assistência humanitária

AngolaMoçambique

Combate à malária travado pela covid-19. Angola e Moçambique entre os mais afetados

Assine nossa Newsletter