MP do Brasil processa multinacional Trafigura por subornos a ex-executivos da Petrobrás - Plataforma Media

MP do Brasil processa multinacional Trafigura por subornos a ex-executivos da Petrobrás

O Ministério Público (MP) brasileiro entrou hoje com uma ação de improbidade administrativa contra a multinacional Trafigura e ex-funcionários da petrolífera estatal Petrobras devido a um alegado esquema de subornos para favorecer ilicitamente a empresa estrangeira.

Segundo o MP, em causa está um esquema de subornos de 6,8 milhões de reais (cerca de um milhão de euros, no câmbio atual) pagos pela empresa de ‘trading’ Trafigura a ex-funcionários da brasileira Petrobrás “em troca de favorecimento em 31 operações de compra e venda de petróleo de combustível, entre maio de 2012 e outubro de 2013”.

“Tais operações envolveram o comércio de cerca de sete milhões de barris de óleo combustível (o equivalente a 1,12 mil milhões de litros) e foram obtidas mediante o pagamento de 6,86 milhões de reais em vantagens indevidas a ex-funcionários da área comercial da Petrobras. Como resultado dos negócios, a Trafigura auferiu lucro de 198,43 milhões de reais (31,18 milhões de euros) em detrimento dos cofres da estatal”, indicou o MP em comunicado.

São alvos da ação de improbidade seis empresas estrangeiras que alegadamente se beneficiaram com a prática ilegal: Trafigura do Brasil Consultoria; Trafigura AG; Trafigura PTE; Trafigura Group PTE; Trafigura Beheer BV e Farringford Foundation; assim como 12 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema.

Esta ação de improbidade administrativa é um desdobramento da fase 57 da Operação Lava Jato, maior operação anticorrupção do Brasil.

Lançada em dezembro de 2018, a fase 57 investigou o pagamento de subornos milionários a funcionários da Petrobras, entre 2009 e 2014, por grandes empresas do mercado de petróleo e derivados. Entre as empresas investigadas estava a Trafigura, suspeita de pagar mais de 15 milhões de reais em subornos (2,36 milhões de euros) para intermediários e funcionários da Petrobras.

Na ocasião, dois ex-executivos da multinacional Trafigura foram acusados de corrupção e branqueamento de ativos.

O MP pede agora à Justiça que decrete o “ressarcimento de danos materiais à Petrobrás no valor de 198,43 milhões de reais, indemnização de danos morais coletivos no mesmo valor, o pagamento de multa civil e a aplicação de outras sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, como a proibição de contratos com o Poder Público”.

Na ação, a Lava Jato solicita ainda que seja determinado o bloqueio de bens de todos os envolvidos até ao limite de mil milhões de reais (cerca de 160 milhões de euros).

Lançada em 2014, a operação Lava Jato trouxe a público um enorme esquema de corrupção de empresas públicas, como a Petrobras, implicando dezenas de altos responsáveis políticos e económicos, e levando à prisão de muitos deles, como o antigo Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que se encontra atualmente em liberdade condicional.

Artigos relacionados
BrasilEconomia

Petrobras tem prejuízo de 1,5 mil milhões de reais no terceiro trimestre

Brasil

Petrobras altera política de remuneração para pagar dividendos mesmo com prejuízo

BrasilEconomia

Produção de petróleo da Petrobras cresce 9% no ano mesmo com pandemia

BrasilEconomia

STF autoriza Petrobras a vender refinarias sem autorização do Congresso

Assine nossa Newsletter