Vida selvagem regressa ao planalto Qinghai-Tibete - Plataforma Media

Vida selvagem regressa ao planalto Qinghai-Tibete

Um pika a carregar erva de volta para o ninho. Um bútio-do-planalto pousado num cabo de eletricidade, atento ao que o rodeia, levanta voo repentinamente, dá algumas voltas e começa a descer, desenhando um arco no céu azul. Este é um testemunho recente de um jornalista em Qingshuihezhen, distrito de Chindu, na área autónoma de Yushu, província de Qinghai. 

Localizada na zona nordeste do planalto, a província de Qinghai está a uma altitude média de mais de 4.000 metros. Possui por isso um clima frio, mas mesmo assim não limita a existência uma rica vida selvagem. Pelo contrário, é um dos locais com maior diversidade biológica em todo o mundo. Um paraíso para muitas espécies. 

O Planalto Qinghai-Tibete possui uma das maiores taxas de avistamento de vida selvagem na China. No interior do planalto, na nascente do rio Yangtze, do rio Amarelo e do rio Mekong, a China criou agora uma barreira de segurança para proteção ecológica da região, sendo um dos locais com maior diversidade biológica do mundo. 

Várias manadas de quiangues e gazelas tibetanas passeiam e relaxam ao lado de uma autoestrada em Madoi, distrito autónomo de Golog, em Qinghai. 

Em Qingshuihezhen, os pastos ficam cobertos de neve durante o inverno. Pequenos pardais levantam voo em direção ao céu azul, misturando-se com o pôr-do-sol à distância. 

Dados da segunda expedição ao Planalto Qinghai-Tibete revelam que a produtividade e a qualidade da vegetação em Sanjiangyuan tem melhorado. Desde 2012 que a biomassa vegetal na zona de teste do Parque Nacional Sanjiangyuan continua a crescer e a mostrar mais estabilidade.

Entre Chindu e Yushu é possível avistar raposas-tibetanas à procura de comida, passeando pelos campos de neve ao lado das estradas, deixando para trás um emaranhado de pegadas. Estes são alguns dos pequenos habitantes do planalto dão vida à região durante o inverno. 

Bapei Rongbao, presidente de Qingshuihezhen, distrito de Chindu, partilha que ao longo dos últimos anos diferentes tipos de animais selvagens começaram a regressar ao planalto, ao ponto de nem se assustarem quando se cruzam com humanos. 

Com os desenvolvimentos do projeto-piloto do Parque Nacional Sanjiangyuan, a proteção de vida selvagem a nível local também tem aumentado. As montanhas, rios, florestas, campos e lagos em Sanjiangyuan representam cada vez mais uma vida em comunidade e, por isso, levam a que cada vez mais pastores locais estejam conscientes da importância da proteção ecológica. A população coexiste bem com estes animais. 

“Alguns quiangues e outros animais chegam a viver durante curtos espaços de tempo com os pastores e os rebanhos, não sem uma situação nova por estas paragens”, afirma Bapei Rongbao. 

Até ao momento a província de Qinghai conta com 22 espécies de vida selvagem com proteção nacional de primeiro grau e 63 com proteção nacional de segundo grau. Existem 125 espécies de animais selvagens no Parque Nacional Sanjiangyuan, a maioria naturais da região do Planalto Qinghai-Tibete e com uma grande população. Peritos estimam que existam cerca de 900 leopardos-das-neves na área de Sanjiangyuan. Em Hoh Xil, a população de antílopes-tibetanos conta agora com mais de 70 mil animais. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MacauSociedade

Pandemia melhora qualidade do ar em Macau em 2020

MundoSociedade

One Planet: Mudanças sérias ou mais do mesmo “bla bla bla”?

BrasilMundo

Perda de florestas mais velhas reduz diversidade da Mata Atlântica

Brasil

Brasil liderará tema de transição energética em diálogo das Nações Unidas

Assine nossa Newsletter