Maior eficácia da vacina AstraZeneca/Oxford foi descoberta por engano - Plataforma Media

Maior eficácia da vacina AstraZeneca/Oxford foi descoberta por engano

Plano inicial era administrar duas doses completas com um mês de intervalo, mas investigadores descobriram que tinham administrado apenas meia dose em voluntário. E que a reação era melhor.

Um erro de dosagem e um golpe de sorte abriram caminho para que a vacina produzida pela farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford atingisse os 90% de eficácia quando administrada em meia dose, seguida por uma dose um mês depois.

“A razão de termos tido uma meia dose foi um acaso”, disse Mene Pangalos, chefe de investigação e desenvolvimento não-oncológico da AstraZeneca, à Reuters.

Um grupo maior que havia recebido duas doses completas, tal como planeado inicialmente, demonstrou um índice de eficácia de 62%, o que levou a que a vacina tivesse uma eficácia geral de 70% incluindo os dois padrões de dosagem.

Quando a Astrazeneca estava a iniciar a sua parceria com a Universidade de Oxford, no final de abril, os investigadores que estavam administrar doses aos voluntários dos testes no Reino Unido perceberam que sintomas como fadiga, dores de cabeça e nos braços estavam mais leves do que o esperado.

“Então voltámos para verificar e descobrimos que tínhamos dado apenas meia dose da vacina”, explicou Pangalos.

Após essa descoberta, a empresa decidiu continuar com a meia dose e administrar a vacina de reforço de uma dose total no momento programado.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
MundoSociedade

Quais são, quanto custam e que eficácia têm as vacinas para a covid-19

BrasilSociedade

Estudo da Coronavac no Brasil chega à fase final com número mínimo de infectados

MundoSociedade

Vacina da AstraZeneca/Oxford tem eficácia de 70%

Assine nossa Newsletter