UE propõe à China envio de observadores sobre direitos Humanos

UE propõe à China envio de observadores independentes sobre direitos Humanos

A União Europeia (UE) propôs nesta segunda-feira ao presidente chinês Xi Jinping que “observadores independentes” sejam enviados à região de Xinjiang para verificar as denúncias de abusos contra a comunidade uigur, informou o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

A proposta foi lançada durante a cúpula virtual que reuniu o presidente chinês Xi Jinping, Charles Michel, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e a chefe do governo alemão, Angela Merkel. 

Em uma teleconferência de imprensa após a cúpula virtual, Michel disse que “a questão dos direitos humanos tem recebido uma atenção mais cuidadosa”. 

Por este motivo, disse ele, “solicitamos o acesso de observadores independentes” à região de Xinjiang.

A cúpula virtual foi parcialmente dedicada à negociação há muito esperada de um complexo acordo de investimento UE-China, mas a questão dos direitos humanos ocupou uma parte importante das discussões.

Esta cúpula deveria ser a grande conquista diplomática da Alemanha durante sua presidência semestral da União Europeia, com todos os chefes de Estado e de Governo se reunindo com Xi na cidade alemã de Leipzig, mas a pandemia de coronavírus arruinou os planos e o enorme encontro se transformou em uma videoconferência.

Artigos relacionados
ChinaMundo

Pequim pede a Londres para parar de “interferir nos assuntos internos da China”

ChinaEconomia

Trabalho forçado na China produz 20% do algodão para indústria da moda global

ChinaMundo

Grupo de 39 países exige à China respeito pelos direitos humanos em Xinjiang

ChinaSociedade

H&M rompe com fornecedor chinês por suspeita de trabalho forçado de uigures

Assine nossa Newsletter