Rejeitada proposta da Microsoft para adquirir plataforma TikTok

Rejeitada proposta da Microsoft para adquirir plataforma TikTok

A oferta da Microsoft para adquirir as atividades norte-americanas de aplicação de vídeos TikTok foi rejeitada pela ByteDance, proprietária chinesa da plataforma, anunciou o gigante informático norte-americano.

“ByteDance informou-nos hoje [domingo] de que não venderia as operações norte-americanas da TikTok à Microsoft. Estamos convencidos que a nossa proposta tinha sido boa para os utilizadores da TikTok, ao mesmo tempo que protegia os interesses da segurança nacional” dos Estados Unidos, indicou a Microsoft, em comunicado.

De acordo com a imprensa norte-americana, citada pela agência de notícias espanhola EFE, o gigante de software norte-americano Oracle deverá ser o parceiro escolhido.

A Oracle impôs-se à Microsoft na “luta” pelas operações nos Estados Unidos da aplicação chinesa de partilha de vídeos, o que permitirá que a popular rede social continue a funcionar no país.

O The Wall Street Journal adiantou esperar, em breve, a confirmação de que o Oracle foi escolhido como o “sócio tecnológico confiável” da TikTok nos Estados Unidos, num acordo que não estará estruturado como uma venda propriamente dita das operações da aplicação.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tinha dado à ByteDance um prazo, que termina na terça-feira, para vender as operações norte-americanas a uma empresa local ou abandonar o país.

A Casa Branca considerou a TikTok uma ameaça para a segurança nacional dos Estados Unidos por ser propriedade de uma empresa chinesa, apesar de a ByteDance ter recusado as acusações norte-americanas de que partilha informação dos utilizadores norte-americanos com o Governo chinês.

Já em agosto, Trump mostrou-se favorável a que a Oracle, com estreitas relações com a Casa Branca, assumisse as operações da TikTok nos Estados Unidos.

A TikTok, com mais de 80 milhões de utilizadores nos Estados Unidos, é uma das redes sociais que mais cresceu nos últimos anos, convertendo-se no principal meio de entretenimento para muitos adolescentes e um canal de marketing para as celebridades.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da China manifestou clara oposição à venda forçada da TikTok por considerar que violaria os princípios da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Pequim vê a venda da TikTok como mais um capítulo da guerra comercial com Washington, que tenta conter o crescente poderio tecnológico do gigante asiático, com restrições impostas à empresa de telecomunicações Huawei e à popular rede social WeChat, do conglomerado digital Tencent.

Artigos relacionados
MundoPolítica

Justiça dos EUA impede Trump de proibir TikTok

ChinaEconomia

China anuncia mecanismos para limitar atividades de empresas estrangeiras

ChinaMundo

TikTok condena decisão dos EUA de proibir o seu descarregamento

ChinaPolítica

Estados Unidos proíbem uso de aplicações chinesas TikTok e WeChat

Assine nossa Newsletter