Vice brasileiro nega destruição da Amazónia e diz que imprensa criou ruído com Merkel - Plataforma Media

Vice brasileiro nega destruição da Amazónia e diz que imprensa criou ruído com Merkel

Noo webinar “Brasil: Futuro Econômico”, Hamilton Mourão afirmou que o Brasil precisa oferecer “um ambiente de negócios mais amigável” para atrair investidores estrangeiros. O vice de Bolsonaro menosprezou os incêndios na Amazónia e voltou a responsabilizar os jornalistas.

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), classificou como “surreal” a forma como as notícias sobre incêndios na Amazônia são divulgadas. “Segundo os dados de 26 de agosto, existem 24 mil focos de calor na Amazônia. São 24 mil em 5 milhões de quilômetros quadrados, um incêndio a cada 200 quilômetros quadrados. É surreal como isso é colocado para as pessoas”, afirmou Mourão, que é chefe do Conselho da Amazônia, grupo criado pelo governo federal para combater a destruição da floresta e incentivar atividades ecologicamente corretas. “E 17% desses incêndios são legais. Sabemos muito bem onde estão ocorrendo (os incêndios ilegais)”, afirmou.

As afirmações foram feitas por Mourão durante o webinar “Brasil: Futuro Econômico”, promovido pela Federação das Câmaras de Comércio Exterior, Confederação Nacional do Comércio (CNC) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

Mourão respondeu perguntas de cinco entrevistadores: o presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Sergio Ricardo Segovia Barbosa, o presidente da Federação das Câmaras de Comércio Exterior, Paulo Fernando Marcondes Ferraz, e o presidente do Conselho Superior da Federação das Câmaras de Comércio Exterior e embaixador do Brasil na Argentina, embaixador José Botafogo Gonçalves.

Leia mais em Istoé

Assine nossa Newsletter