Governo não prevê vaga de turistas após abrir com Guangdong

Governo não prevê vaga de turistas após abrir com Guangdong

O Governo não antecipa um grande fluxo de visitantes da China. Isto apesar de, a partir das seis da manhã, quem chegar da província de Guangdong ter apenas que apresentar comprovativo em como testou negativo à COVID-19. Foi o que afirmou a directora do Gabinete de Comunicação Social, Inês Chan, na conferência de imprensa convocada esta tarde para esclarecer as novas medidas.

“Quanto aos vistos individuais e de excursões ainda não temos informações sobre isto, num curto espaço de tempo não estamos a contar com a vinda de muitos turistas da China”, afirmou.

A nova política é recíproca – ou seja os residentes de Macau também podem cruzar a fronteira mediante um teste negativo – escapando à quarentena. Mas neste caso há, no entanto, limitações. O sistema de marcação para fazer o teste só aceita até 5000 pedidos por dia. Alvis Lo Iek Long, da direcção do hospital Conde de São Januário, indicou que hoje as vagas esgotaram em apenas três minutos.

Macau tem capacidade para fazer 16 mil testes diários, mas a ideia é evitar riscos na fronteira com a previsão de um maior fluxo de pessoas.

Leia mais em TDM

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Metade dos moradores de São Paulo e Rio deixaria as cidades se pudesse

BrasilSociedade

No Brasil, casos de covid-19 caem 19% e mortes diminuem 17%

Mundo

Madrid decreta recolher obrigatório

PortugalSociedade

Surto de covid-19 na GNR do Porto após almoços-convívio

Assine nossa Newsletter