Americana refém na Nigéria durante ano e meio - Plataforma Media

Americana atraída por romance no Facebook ficou refém um ano e meio num hotel na Nigéria

Funcionária pública reformada, de Washington. a mulher de 46 anos voou para Lagos, na Nigéria, com a promessa de casamento com um homem que conheceu no Facebook. Durante um ano e meio, ficou em cativeiro num quarto de hotel e a sua conta bancária foi espoliada em 48.000 dólares

O suspeito que prometera à norte-americana no Facebook um casamento de sonho em Lagos, na capital da Nigéria, apoderou-se dos cartões de débito e crédito da vítima e da sua pensão da Função Pública. Num período de 16 meses, a mulher viu a sua conta bancária espoliada no valor de 48.000 dólares, noticia a BBC.

Chukwuebuka Obiaku, o suspeito, ganhou “total controlo” sobre os bens da vítima que conheceu na rede social Facebook, segundo a polícia. Obiaku também usou a vítima para defraudar colegas da mulher “e outras personalidades estrangeiras e companhias”.

A vítima chegou à Nigéria vinda dos Estados Unidos em fevereiro de 2019. Em maio, casou com Obiaku. Depois, ficou em cativeiro durante 16 meses num quarto de hotel em Lagos.

A polícia recebeu uma dica de um indivíduo com “preocupações cívicas” e foi assim que conseguiu resgatar a mulher do cativeiro prolongado. Quanto a Obiaku foi detido e enfrenta um processo por cibercrime.

Na Nigéria, os “Yahooo Boys”, como são conhecidos, os burlões da internet, são famosos por roubarem pessoas em milhares ou milhões de dólares. As promessas de casamentos online é um dos seus esquemas. No mês passado a polícia resgatou uma mulher das Filipinas que veio para a Nigéria em busca de romance depois de ter conhecido um nigeriano no Facebook. Foi também sequestrada e mantida em cativeiro por seis meses.

São também famosas as “Cartas da Nigéria”, um esquema no qual alguém se faz passar por príncipe ou alto digantário daquele país, contactando uma vítima do outro lado do mundo por e-mail para fazer phishing de dados alegando que precisa de ajuda para fazer uma transferência bancária internacional.

Artigos relacionados
MundoSociedade

OMS: "Não há e pode nunca haver uma solução milagrosa para a covid-19"

MundoSociedade

Plástico nos oceanos pode chegar a 600 milhões de toneladas em 2040

MundoSociedade

OMS avisa que vacinas só deverão surgir na segunda metade de 2021

MundoSociedade

Curva da Covid sugere imunidade maior e segunda onda menos provável

Assine nossa Newsletter

Vale a pena ler...
Mulher viola quarentena com amante no porta-malas do carro e é detida na Argentina