Antigo ministro timorense proposto para secretário-executivo da CPLP - Plataforma Media

Antigo ministro timorense proposto para secretário-executivo da CPLP

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Timor-Leste, Zacarias Albano da Costa, foi o nome proposto para futuro secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), adiantou hoje à Lusa a embaixadora timorense em Lisboa.

“Já temos um nome. O senhor ministro Dionísio Babo [MNE de Timor-Leste) já escreveu uma carta aos seus homólogos [da CPLP], e o nome proposto foi o do doutor Zacarias Albano da Costa, que foi também ministro dos Negócios Estrangeiros” de Timor-Leste, afirmou hoje a embaixadora timorense em Lisboa, Isabel Amaral Guterres, no cargo desde janeiro deste ano.

Timor-Leste é o país que tem agora o direito de propor o nome do futuro secretário-executivo da CPLP, a seguir a Portugal.

A ex-ministra da Solidariedade Social de Timor-Leste sublinhou que o nome terá de ser aprovado na cimeira de chefes de Estado e de Governo da CPLP, a realizar em Luanda em julho de 2021, e só a partir daí o antigo MNE timorense poderá tomar posse.

Até lá, mantém-se no cargo o embaixador Francisco Ribeiro Telles, confirmou Eurico Monteiro, o embaixador de Cabo Verde em Portugal, representante do país que tem neste momento a presidência rotativa da CPLP.

O diplomata português e atual secretário-executivo da organização, que terminaria o seu mandato em dezembro de 2020, “já aceitou” manter-se em funções até à cimeira de Chefes de Estado e de Governo, que deveria realizar-se, como habitualmente, em julho deste ano, mas que a pedido de Angola, o país anfitrião, foi adiada para julho de 2021, disse o embaixador cabo-verdiano, Eurico Monteiro.

Os diplomatas falaram à Lusa após a reunião do Comité de Concertação Permanente da CPLP – que reúne os representantes dos Estados-membros -, a primeira realizada presencialmente desde o início da pandemia de covid-19.

A reunião prolongou-se por toda a manhã de hoje, na sede da CPLP, mas da qual ainda não saiu um consenso sobre a data da realização da cimeira.

A CPLP integra Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Artigos relacionados
AngolaBrasil

CPLP aposta num melhor serviço de gestão e distribuição da água nos Estados membros

AngolaLusofonia

Angola na maior tribuna de orientadores da CPLP

LusofoniaPolítica

Ministros da Educação da CPLP debatem o setor no contexto da Covid-19

EntrevistaLusofonia

"A CPLP não tem um patrão e isso faz a diferença em relação à Commonwealth"

Assine nossa Newsletter