Viagens de africanos vão ficar mais difíceis - Plataforma Media

Viagens de africanos vão ficar mais difíceis

A Comissão Europeia afirma que, ao fim de dez anos, se impunha a reforma dos vistos para estadias curtas. Mas as novas regras vão dificultar visitas à Europa a muitos africanos.

Seja para visitar familiares, dar um concerto ou assistir a uma conferência, quem vem de África para a União Europeia (UE) para uma estadia de curta duração normalmente precisa do chamado visto Schengen. Trata-se de um documento muito popular, válido em 26 países europeus por um máximo de três meses. Em 2019, os países membros da União Europeia (UE) emitiram mais de 15 milhões destes vistos, em resposta a quase 17 milhões de pedidos. O visto comum adoptado pela UE há dez anos regula quem obtém o documento e como funciona o processo de requisição.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
MundoSociedade

Primeiras vacinas da parceria global Covax devem chegar a África em março

MundoSociedade

Vacinação em África deverá começar apenas a partir de abril de 2021

AngolaEconomia

Patróleo: Angola licita nas bacias do Congo e do Kwanza

China

Exclusão de bancos privados chineses dificulta perdão da dívida a África

Assine nossa Newsletter