CANTÃO, CAPITAL AFRICANA NA ÁSIA - Plataforma Media

CANTÃO, CAPITAL AFRICANA NA ÁSIA

 

Mais de 200.000 africanos, na maioria imigrantes ilegais, vivem em Cantão, no sul da China, constituindo a maior comunidade do género no continente asiático, segundo revelou um jornal chinês, que cita um estudo de uma universidade local.

Os africanos representam cerca de metade de toda a população estrangeira de Cantão, uma das cidades mais prósperas da China e a capital da província de Guangdong, que confina com Macau e Hong Kong, diz um estudo da Academia de Desenvolvimento da Universidade de Cantão.

Num centro comercial de Yuexiu, um dos distritos de Cantão onde se concentra a comunidade, a maioria das lojas são já geridas por africanos, refere o estudo. Os africanos constituem também “uma alta percentagem” dos 13.000 estrangeiros ilegais detidos na província de Guangdong em 2008 (mais 6.000 do que ano anterior) e desde dezembro de 2012 a polícia de Cantão prendeu “mais de 300 africanos envolvidos em tráfico de droga”.

Um recente relato publicado num site noticioso japonês estimava em mais de 300.000 o número de africanos que viviam ilegalmente em Cantão, indica o jornal Global Times.

Com cerca de um terço da superfície da Espanha e mais de cem milhões de habitantes, Guangdong foi declarada “a vanguarda da política de Reforma Económica e Abertura ao Exterior” no início da década de 1980.

A capital provincial, Cantão, situada sob o Trópico de Câncer, fica a 150 quilómetros de Hong Kong e Macau, desenhando com aqueles dois territórios o denso triângulo industrial do Delta do Rio das Pérolas, conhecido como a “fábrica do mundo”.

 

Assine nossa Newsletter