Início China Operadores de jogo em Macau vão levar tempo a reduzir dívida – Fitch

Operadores de jogo em Macau vão levar tempo a reduzir dívida – Fitch

A agência de notação financeira Fitch Ratings disse hoje esperar que o setor do jogo em Macau apresente melhorias este ano, apoiadas pela recuperação turística, embora a redução da dívida de operadoras de casino "leve tempo".

“O aumento do número de visitantes e das receitas do jogo deverá contribuir para que as operadoras de casinos com presença em Macau, classificadas pela Fitch, reduzam os níveis de endividamento”, prevê a agência em comunicado.

A Fitch deixa a ressalva que o potencial de subida das classificações destas empresas é limitado pela elevada dívida, cuja redução “vai levar algum tempo para algumas das operadores, apesar das melhorias registadas”.

O fluxo de turistas do interior da China em Macau aumentou durante os oito dias do feriado do Ano Novo Lunar, que este ano foi um dia mais longo do que o habitual, entre 10 e 17 de fevereiro.

Dados da Direção dos Serviços de Turismo de Macau revelam que o número de visitantes nos primeiros sete dias do período de férias aumentou 2,6% em comparação com o mesmo período de 2019, antes da pandemia e de Macau adotar rigorosas restrições fronteiriças.

Já durante os oito dias de férias, as chegadas de visitantes totalizaram 1,4 milhões, face aos 1,2 milhões de visitantes registados em 2019. “Este fluxo reforça a nossa expectativa de uma recuperação do setor do jogo de Macau para o resto do ano, apesar dos ventos contrários económicos que a China enfrenta”, escreve a Fitch Ratings.

“Esta resiliência deve-se, em parte, a uma mudança nas preferências dos consumidores chineses para setores orientados para os serviços, como o turismo doméstico e o entretenimento”, acrescenta.

Por outro lado, afirmam ainda os especialistas da Fitch, o fluxo turístico “é suscetível de impulsionar a receita bruta do jogo dos casinos”, com o segmento do mercado de massas “a registar receitas no quarto trimestre de 2023 que excederam os níveis de 2019 em 4 por cento”.

Já o segmento VIP (grandes apostas) encontra-se num percurso mais lento de recuperação, constatam no comunicado, avaliando que é improvável que volte aos níveis de receita pré-pandemia num futuro próximo.

“Essa recuperação mais lenta no segmento VIP pode ser atribuída ao endurecimento regulatório dos últimos anos no tratamento do turismo de jogos na China e aos desafios económicos mais amplos enfrentados pela China”, afirma-se na nota.

As seis concessionárias, MGM, Galaxy, Venetian, Melco, Wynn e SJM, acumularam durante a pandemia prejuízos sem precedentes em Macau, capital mundial do jogo e o único local na China onde o jogo em casino é legal.

Macau fechou 2023 com receitas totais de 183,1 mil milhões de patacas, quatro vezes mais do que no ano anterior, mas apenas 62,6 por cento da receita acumulada registada em 2019, de acordo com os dados do regulador do jogo.

No ano passado, o território recebeu mais de 28,2 milhões de visitantes, cinco vezes mais do que no ano anterior e 71,6 por cento do registado antes do início da pandemia.

Macau, que à semelhança da China seguia a política ‘zero covid’, reabriu as fronteiras a todos os estrangeiros, incluindo turistas, em 08 de janeiro de 2023, depois de quase três anos de rigorosas restrições.

Plataforma com Lusa

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!