“Talvez 50%.” Corte de água para agricultores no Algarve será menos drástico

O presidente da Associação dos Beneficiários do Plano de Rega do Sotavento do Algarve garante que as reuniões dos agricultores com a ministra da Agricultura e com a Agência Portuguesa do Ambiente correram bem e, por isso, houve um passo atrás. O corte no abastecimento de água para a agricultura na região não deve ir além dos 50%.

por Gonçalo Lopes

“A redução dos 70% anunciados para aqui não vão ser. Vão ser talvez cerca de 50, porque houve alguma flexibilidade nas decisões que foram anunciadas, há alguns aquíferos que se podem utilizar e há algumas reduções que nós vamos fazer no aumento da eficiência dos regadios. O regadio agrícola perde pouquíssima água. Eu sou responsável por uma área de oito mil hectares de regadio, temos perdas de 1% ou 2%. As câmaras municipais perdem 30%, o consumidor de água final no Algarve, o cidadão que tem uma torneira lá em casa, paga água 30% mais cara porque 30% que entra nas redes municipais perde-se tratada com um custo enorme e é paga por cada um dos cidadãos. Deixa-nos preocupados, deixa-nos naturalmente com uma aflição, mas gerir a 50% é diferente do que gerir a 70%”, revela na TSF Macário Correia.

Leia mais em Jornal de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!