Mais de metade dos portugueses contra fim das máscaras

por Gonçalo Lopes

Mais de metade dos portugueses está contra a decisão do governo de deixar cair a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção contra a covid-19 nos espaços fechados. Muitos continuam a usá-la, sempre e às vezes, e só uma minoria (22%) admite que nunca a coloca. Apesar das críticas ao levantamento das máscaras, são cada vez mais os que consideram que Portugal tem lidado bem e muito bem com a pandemia.

A decisão de pôr fim às máscaras, com exceção dos serviços de saúde e transportes públicos, não agradou a 55% dos inquiridos na sondagem Aximage, realizada entre 19 e 24 de maio para o DN, JN e TSF. Outros 37% concordam com a decisão do governo e 8% não manifestaram opinião.

A maioria dos críticos é da região Norte, mas na Área Metropolitana do Porto, onde a pandemia também cresce a ritmo acelerado, há mais pessoas a concordar do que a discordar do alívio das máscaras. Olhando os grupos etários, salta à vista que são os mais velhos quem mais discorda do fim das máscaras. E o inverso também é notório: 49% dos inquiridos entre os 18 e os 34 anos acham que a decisão foi acertada.

O comportamento dos portugueses parece acompanhar a crítica: 46% dos inquiridos garantem que continuam a usar sempre máscara e 32% referem fazê-lo às vezes. Apenas 22% dos inquiridos revelam que nunca usam máscara nos espaços onde já não é obrigatória.

Leia mais em Diário de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!