Austrália volta a retirar visto a Djokovic - Plataforma Media

Austrália volta a retirar visto a Djokovic

O número um do “ranking” Mundial do ténis pode vir a ser deportado, caso a justiça dê razão ao Governo australiano, que esta sexta-feira voltou a revogar o visto de entrada de Novak Djokovic naquele país.

O sérvio, de 34 anos, tem ainda a possibilidade de recorrer da decisão do ministro australiano do Interior. “Hoje, exerço o meu poder… para cancelar o visto de entrada a Novak Djokovic por motivos de saúde e ordem pública, no pressuposto de que é do interesse público”, justificou Alex Hawke.

A decisão do ministro do Interior australiano foi tomada ao abrigo da Lei da Imigração, que lhe confere o poder de deportar alguém que seja considerado “um risco para a saúde ou ordem pública”. A confirmar-se a deportação, o tenista pode ficar proibido de entrar no país durante três anos.

“O Governo está firmemente empenhado em proteger as fronteiras da Austrália, especialmente em relação à pandemia de covid-19”, disse Hawke, ao justificar a medida.

Na segunda-feira, um tribunal de Melbourne, cidade que acolhe o primeiro grande torneio de ténis do ano, tinha ordenado a libertação imediata de Novak Djokovic que estava detido havia cinco dias por ter entrado no país, a 6 janeiro, “sem fornecer elementos comprovativos” da vacinação contra a covid-19.

Entretanto, Djokovic anunciou que tinha uma autorização especial da organização do torneio para jogar o Open da Austrália, por ter sido infetado com covid-19 em meados de dezembro.

Nos dias que se seguiram a esta declaração, foi obrigado a reconhecer que errou ao não ficar em isolamento após conhecer o alegado teste positivo, tendo participado numa entrevista com o jornal francês “L’Equipe” e numa entrega de prémios a crianças, quando devia estar em confinamento.

No formulário de entrada na Austrália assinalou com “Não” a resposta à pergunta se tinha viajado nos 14 dias anteriores à chegada àquele país. As redes sociais de Djokovic mostraram-no em Espanha no início de janeiro. O tenista justificou a resposta errónea com uma falha da equipa que o acompanha, que se enganou no preenchimento do formulário.

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter