Marcelo sobre o aeroporto: "Medíocre é adiar o que tem que ser decidido"

Marcelo sobre o aeroporto: “Medíocre é adiar o que tem que ser decidido”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou esta quinta-feira para a necessidade de um “consenso mínimo nacional” sobre o novo aeroporto de Lisboa, independentemente das escolhas dos portugueses que venham a sair das eleições, apelidando de “medíocre” adiar esta decisão.

“Foi falado o problema crucial da acessibilidade aérea na recuperação do turismo em Portugal. Não é um tema novo, antes da pandemia existia, e continua a ser tema depois da pandemia. Desiludam-se os que pensavam que com a pandemia estava adiado sine die, que há todo o tempo do mundo para se definir uma posição sobre esta matéria. Não há todo o tempo do mundo. Se houver quer dizer que se andou a perder tempo”, começou por dizer Marcelo Rebelo de Sousa, no 32.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, em Albufeira.

“O que eu espero é que independentemente do que sejam as escolhas que os portugueses venham a fazer daqui a cerca de dois meses e meio [eleições], seja possível ter um consenso mínimo nacional sobre o que há a ser definido” para o novo aeroporto, afirmou ainda.

O Presidente da República, que discursava no encerramento do congresso, voltou a insistir na necessidade de se tomar uma decisão sobre a futura infraestrutura aeroportuária, relembrando que “qualquer que seja a decisão, é melhor que uma não decisão”. “Certamente, o que é medíocre é adiar o que tem que ser decidido”, insistiu o Presidente da República.

Tal como já tinha afirmado no Dia Mundial do Turismo, Marcelo considerou ser “inconcebível” chegar ao fim deste segundo mandato sem uma definição sobre o aeroporto na área da Grande Lisboa. “Não é a única realidade em termos de infraestrutura de acesso aéreo, mas admito que esta é uma das que vos preocupa sobremaneira”, acrescentou, dirigindo-se aos empresários presentes.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter