Afeganistão: um mosaico étnico em um país fragmentado

Afeganistão: um mosaico étnico em um país fragmentado

A diversidade étnica no Afeganistão é um elemento basilar da vida política e dos conflitos deste país há um século e pode desempenhar um papel importante na formação do novo governo dos talibãs

Nenhum grupo étnico tem maioria absoluta entre os 40 milhões de habitantes do país, uma fragmentação que contribui para sua instabilidade. 

Confira abaixo a composição étnica do Afeganistão: 

– Os pashtuns –

Etnia majoritária do Afeganistão, com mais de 40% da população, os pashtuns são, principalmente, muçulmanos sunitas e falam pashto, ou pashtun. Desde o século XVIII, costumam controlar o Estado e o Exército. 

Os talibãs, que tomaram o poder pela segunda vez após seu regime de 1996-2001, são um grupo predominantemente pashtun. Os dois presidentes do governo apoiado pelos Estados Unidos, Hamid Karzai e Ashraf Ghani, também são deste grupo étnico. 

A posição dominante dos pashtuns, que estão espalhados por uma área em forma de arco da fronteira com o Paquistão (leste) até a fronteira com o Irã (sul), causa indignação, com frequência, nos outros grupos étnicos que se consideram marginalizados em nível político, econômico e cultural.

– Os tadjiques –

Segundo grupo étnico do país, os tadjiques representam por volta de 25% da população e falam dari (farsi, em persa). Estão localizados, principalmente, no norte e no oeste do país, com bastiões no vale de Panshir, na cidade de Herat (oeste) e em algumas províncias do norte.

O vale de Panshir é conhecido por ter resistido à ocupação do então Exército soviético nos anos 1980, mas também ao primeiro regime talibã. 

Foi o feudo do mais famoso tadjique, o comandante Ahmed Shah Masud, herói da resistência antissoviética e da luta contra os talibãs. Ele foi assassinado em 9 de setembro de 2001 em um ataque atribuído à Al-Qaeda.

O tadjique Burhanuddin Rabbani foi presidente do Afeganistão entre 1992 e 1996, quando Cabul caiu nas mãos dos talibãs. Abdullah Abdullah, ex-vice-presidente e representante do governo derrubado nas negociações com os talibãs, é de etnia mista pashtun-tadjique, mas se considera pertencente à segunda.

– Os hazaras – 

Os hazaras, que representam cerca de 10% da população afegã e falam um dialeto dari, são considerados originários da Ásia Central e dos povos turcos. Vivem, principalmente, no centro do país. 

É uma minoria xiita, que sofre uma violenta perseguição há séculos, assim como pelos talibãs, que os consideram hereges. Este grupo também foi alvo de ataques do grupo jihadista Estado Islâmico. 

– Os uzbeques –

A minoria uzbeque também representa 10% da população e se encontra, sobretudo, no norte do país, ao longo da fronteira com o Uzbequistão.

Muçulmanos sunitas em sua maioria, mantêm fortes vínculos linguísticos e culturais com a Turquia. 

O senhor da guerra Abdul Rashid Dostom, desta etnia, é suspeito de ter ordenado o massacre, em 2001, de centenas, talvez milhares, de prisioneiros talibãs.

– Outras etnias –

Embora com um papel mais marginal, o Afeganistão também acolhe turcomanos, quirguizes, cazaques, baluchis e nuristaneses, anteriormente chamados de “kafir” (infiéis) até sua conversão forçada no século XIX.

Assine nossa Newsletter