Thierry Henry deixa redes sociais em protesto contra 'racismo' e a 'intimidação'

Thierry Henry deixa redes sociais em protesto contra ‘racismo’ e a ‘intimidação’

O ex-jogador Thierry Henry, maior artilheiro da seleção francesa e campeão mundial em 1998, anunciou na sexta-feira que vai abandonar as redes sociais porque os responsáveis por essas plataformas não agem contra o “racismo”, “intimidação” e “tortura mental que isso acarreta”

“O considerável volume de racismo, intimidação e tortura mental que isso acarreta é muito tóxico para ser ignorado”, escreveu em suas redes sociais o ex-atacante, que até recentemente trabalhava como técnico do canadense CF Montreal, função que abandonou por motivos familiares.

Com 14,8 milhões de seguidores no Twitter, Facebook e Instagram, o ex-atacante do Arsenal e do FC Barcelona, apelou à “responsabilidade” e pediu “aos responsáveis que regulem as suas plataformas com o mesmo vigor e veemência com que mostram quando o copyright é violado.” 

“É muito fácil criar uma conta e usá-la para intimidar e assediar anonimamente sem consequências”, afirmou o francês de 43 anos. 

“Contanto que isso não mude, vou desativar minhas contas em todas as plataformas sociais. Espero que a mudança aconteça em breve.” 

Como outros gigantes da alta tecnologia, o Twitter é cada vez mais criticado por permitir postagens muitas vezes racistas ou misóginas, geralmente em contas falsas. 

O Twitter divulgou na semana passada que “não há lugar para abusos racistas” em sua plataforma e que trabalha para suprimir os abusos contra jogadores de futebol. 

A decisão de Thierry Henry de desativar suas contas de mídia social veio alguns dias após a decisão da americana Chrissy Teigen, top model e autora de livros de receitas, de deixar o Twitter após sofrer insultos.

Related posts
DesportoPortugal

Portugal e Espanha apresentam candidatura conjunta a Mundial de futebol de 2030

Desporto

Bayern Munique 'festeja' nono título consecutivo com goleada

Desporto

Criadores pretendem remodelar Superliga europeia após êxodo dos ingleses

Desporto

PSG goleia Barcelona no Camp Nou na Liga dos Campeões

Assine nossa Newsletter