Setores do comércio e indústria em Angola desrespeitam medidas de prevenção - Plataforma Media

Setores do comércio e indústria em Angola desrespeitam medidas de prevenção

A Inspecção Geral do Trabalho do Bié acusou, ontem, no Cuito, alguns gestores públicos e privados de abrandarem as medidas de biossegurança.

Em declarações à Angop, o chefe dos serviços da Inspecção Geral do Trabalho no Bié, António Caquarta, disse que em muitos locais de trabalho não há aparelhos de medição de temperatura, noutros os funcionários não usam máscaras faciais nem desinfectam as mãos, o que pode facilitar a propagação do vírus.

António Caquarta disse que a maior parte das empresas que desrespeitam as medidas de protecção são do ramo do Comércio, Prestação de Serviço e Indústria.
Explicou que só nos meses de Novembro e Dezembro, período em que mais se verificou o abrandamento das medidas, foram registadas 33 empresas com trabalhadores sem uso de máscaras faciais.

“Alguns trabalhadores possuíam máscaras, mas estavam nos bolsos ou mal colocadas. A luta contra a Covid-19 é responsabilidade de todos. Os gestores não exigem a higienização das mãos, funcionários deixaram de usar máscaras nas empresas, situação que pode contribuir para o alastramento da doença”, enfatizou.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
AngolaEconomia

Reformas económicas em Angola geram resultados no médio prazo

AngolaEconomia

Industrialização de Angola só avança sem "corrrupção massiva"

AngolaSociedade

Luanda e Huambo registam as primeiras mortes do ano por Covid-19

AngolaPolítica

Dinheiro recuperado em Angola deve beneficiar "visivelmente" a população

Assine nossa Newsletter