50 jornalistas mortos em 2020, cada vez mais em zonas de paz - Plataforma Media

50 jornalistas mortos em 2020, cada vez mais em zonas de paz

Este ano foram mortos 50 jornalistas e quase sete em cada 10 em países em paz e não em zonas de guerra, indicou a organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) no seu relatório anual publicado ontem

Enquanto o número de mortos “permanece estável” em comparação com os 53 jornalistas mortos em 2019, cada vez mais “estão a ser assassinados em países em paz”, ou seja, 34 pessoas, representando 68% do número total dos homicídios, segundo a organização não-governamental (ONG) francesa, que elaborou este relatório entre 01 de Janeiro e 15 de Dezembro.

A proporção de jornalistas mortos em zonas de conflito está a diminuir constantemente, de 58% em 2016 para 32% este ano em países como a Síria e o Iémen ou “zonas minadas por conflitos de baixa ou média intensidade” como o Afeganistão e o Iraque. O México é o país mais mortífero para a profissão com oito mortos, seguido da Índia e Paquistão com quatro cada, Filipinas e Honduras, ambos com três.

Leia mais em Jornal de Angola.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
Hong KongPolítica

Polícia de Hong Kong cria linha direta para residentes denunciarem-se uns aos outros

Hong KongMacau

“Macau e Hong Kong caminham para estado policial moderno", defende especialista

Editorial

Liberdade e bom senso

Editorial

Liberdade é tudo

Assine nossa Newsletter