O mistério de Mathieu Martin, o viajante que nunca mais foi visto - Plataforma Media

O mistério de Mathieu Martin, o viajante que nunca mais foi visto

Viajava por sua conta desde os 15 anos e já tinha conhecido cerca de 70 países. Desde o inverno de 2018 que não era visto. Esta terça-feira, o francês Mathieu Martin, de 32 anos, foi dado como morto pelo Tribunal argentino de Salta, que condenou um habitante local a 13 anos de prisão pela sua morte sem motivo aparente. O corpo nunca foi encontrado

A família de Mathieu Martin não aceita a tese de homicídio, na paisagem remota da província argentina de Salta, no noroeste daquele país sul-americano. “Estamos aqui, nada nos vai parar em tua busca. Amamos-te”, assinam os pais e a irmã do jovem. As palavras remetidas desde França foram lidas no julgamento pelo advogado da família. Não tendo sido achado o corpo, consideraram não haver provas irrefutáveis contra os dois irmãos acusados do crime (um condenado e outro absolvido), pedindo a sua absolvição.

Contudo, esse não foi o entendimento do tribunal, que deu como provada a culpa de um dos irmãos, Juan Cuevas, de 39 anos. Condenou o arguido a 13 anos de prisão e mandou inscrever a morte de Mathieu Martin no Registo Civil, o que altera a sua condição de desaparecido e dá por terminada a investigação mais ambiciosa da justiça penal de Salta, conta a correspondente na Argentina do diário espanhol “El País”.

Mathieu era dado como uma pessoa amigável, cautelosa e humilde. Gostava de conhecer gente e explorar culturas diferentes, sem se aventurar em proezas desportivas nem em riscos. Assim, foi descrito por familiares, conhecidos e populares com quem se cruzou nos dias anteriores à sua morte. Perante os juízes, testemunharam professores, profissionais de saúde, jornalistas, camponeses e até pastores que nunca tinham saído das suas aldeias.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
LifestyleMundo

Que é feito de Amanda Knox, a estudante acusada e absolvida de homícidio em Itália

Assine nossa Newsletter