Governo diz que apoios "não irão ficar-se por dia 31 de dezembro"

Governo diz que apoios “não irão ficar-se por dia 31 de dezembro” mas é preciso aprovar OE

O Executivo avisa que para prolongar os apoios em vigor e os novos é preciso que o Orçamento do Estado seja aprovado na próxima quinta-feira em votação final global.

O Governo compromete-se a prolongar para lá do final deste ano as medidas de apoio às famílias, aos trabalhadores e às empresas, mas avisa que antes é preciso aprovar o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

“Todas as medidas que estão em vigor e que têm uma vigência neste momento até 31 de dezembro, naturalmente que não irão ficar-se por 31 de dezembro de 2020”, começou por afirmar a secretária de Estado do Orçamento, Cláudia Joaquim, acrescentando que “o Governo está a avaliar a necessidade da sua continuidade e dos termos da sua continuidade”.

A governante deu o exemplo do novo apoio extraordinário para os trabalhadores. “É isso que estamos a fazer com a nova prestação social de apoio aos trabalhadores porque foi preciso avaliar em que medida foi preciso proteger o rendimento das famílias e dos trabalhadores num cenário de pandemia e de crise e de eventual desemprego e agravamento do desemprego”, frisou.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Artigos relacionados
Opinião

A 'montanha russa' é a melhor, foi desenhada por portugueses, mas não temos petróleo

MundoSociedade

Concentração recorde de CO2 na atmosfera apesar de confinamentos por covid-19

PortugalSociedade

Reportagem: A logística para a distribuição da vacina em Portugal

BrasilPortugal

Portugal tem "dívida histórica" com povos nativos, diz indígena brasileira

Assine nossa Newsletter