‘Baby boomers’ entram na velhice, mudando a sociedade e a economia

por Filipa Rodrigues
Yao Minji

Yang Quanfu, 55 anos, levou recentemente a sua mãe de 89 anos a uma avaliação para determinar a necessidade de algum nível de assistência. Está na dúvida entre pô-la num lar de idosos ou recorrer aos serviços de atendimento domiciliário, serviços em franca expansão em Xangai.

Yang admitiu que seu dever enquanto filho pesa sobre ele.

“Eu sou o único rapaz de cinco filhos, por isso tradicionalmente eu devo ser o responsável pelos seus cuidados”, disse ele ao Shanghai Daily. “Pode parecer um pouco egoísta da minha parte, mas também quero aproveitar a minha reforma iminente. Eu não espero que o meu filho tome conta de mim algum dia. Ele simplesmente não terá dinheiro para isso”.

A hesitação de Yang resume a mudança demográfica do país e as atitudes dos filhos, em relação aos cuidados com os idosos, à medida que o “baby boomers” das décadas de 1960 e 1970 se reformam, aumentando a população idosa da China em rápido crescimento.

A TouTiao, uma das plataformas de notícias móveis mais populares da China, fez uma pesquisa acerca das palavras pesquisadas online, por faixas etárias, no ano passado. Para a geração de Yang, as principais palavras pesquisadas foram “simulação de pensão de reforma”. Outras plataformas também encontraram como principais frases de pesquisa, nessa faixa etária, “cuidados de saúde”, “bem-estar” e “alimentação saudável”.

Yang, que obtém a maior parte das informações através Internet, disse que costuma ler artigos sobre como ter um estilo de vida saudável, como planear a reforma, e onde passar férias.

Leia mais em inglêm em Shanghai Daily

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!