Maior partido da oposição são-tomense reúne-se para eleger direção após dois anos de crise - Plataforma Media

Maior partido da oposição são-tomense reúne-se para eleger direção após dois anos de crise

O maior partido da oposição em São Tomé e Príncipe, Ação Democrática Independente (ADI), reúne-se hoje em congresso para eleger a nova direção, tendo o antigo presidente Patrice Trovoada como candidato único à liderança, após dois anos de crise.

“É um congresso cuja realização foi consensual, não legitima nem uma direção nem outra dos dois congressos realizados anteriormente”, afirmou à Lusa fonte partidária, sublinhando que deste congresso deverá “sair uma direção única, consensual, que será depois legitimada junto do Tribunal Constitucional”.

Patrice Trovoada, antigo primeiro-ministro são-tomense, saiu de São Tomé e Príncipe após as eleições legislativas de outubro de 2018, quando o seu partido foi o mais votado, mas não conseguiu formar governo. No mês seguinte, demitiu-se da direção do partido fundado pelo seu pai, o antigo Presidente são-tomense Miguel Trovoada, o que levou a uma crise interna dentro do ADI.

Em menos de dois anos, duas alas diferentes do partido realizaram dois congressos. Num primeiro, realizado em maio do ano passado, Agostinho Fernandes foi eleito presidente, arrastando consigo a maioria dos quadros do partido. Poucos meses depois, outra ala do partido realizou outro congresso, elegendo Patrice Trovoada para a presidência do partido.

O Tribunal Constitucional rejeitou a legalidade deste segundo congresso, tendo reconhecido antes a direção de Agostinho Fernandes, mas este, em julho deste ano, renunciou ao cargo, alegando falta de consenso para realizar um novo congresso para tirar o ADI da “profunda crise”.

O congresso eletivo do ADI terá lugar no Palácio dos Congressos, na capital são-tomense, e são esperados 500 delegados.

Assine nossa Newsletter