Refugiada palestiniana viaja 600 anos, descobre origem judaica e pode ser portuguesa - Plataforma Media

Refugiada palestiniana viaja 600 anos, descobre origem judaica e pode ser portuguesa

Jovem de 26 anos teve de recuar 600 anos na história da sua família para conquistar uma pátria. Espanha já a aceitou como cidadã. Em Portugal , o processo ainda está imerso na burocracia.

Foi uma viagem de mais de 600 anos que uma jovem de 26 anos – de uma família de refugiados palestinianos de terceira geração- , que se recusava a aceitar a falta de reconhecimento internacional da sua identidade, fez.

Ao fim de três anos de dedicação e depois do trabalho “excecional” de um advogado “teimoso”, Heba Iskandarani segura um passaporte espanhol desde o dia 12 de setembro deste ano. Em Portugal, o processo que dá também esperança ao pai e tio de Heba tem enfrentado vários entraves e dificuldades que se prendem “essencialmente com o excesso de burocracia e um atraso sem precedentes na tramitação dos processos”, explica a advogada Eva Garcia.

Leia mais em Diário de Notícias.

Related posts
MundoPolítica

Diretor-geral da OIM discute com Zelensky reforço de apoio a refugiados

Lifestyle

Letizia, Jill Biden e as netas visitam centro de acolhimento de refugiados ucranianos

MundoPolítica

Crise alimentar pode aumentar o número de pessoas deslocadas no mundo

DesportoPortugal

"Vou ser melhor do que o Ronaldo." Vlad tem 8 anos e é refugiado ucraniano em Portugal

Assine nossa Newsletter