Refugiada palestiniana viaja 600 anos, descobre origem judaica e pode ser portuguesa - Plataforma Media

Refugiada palestiniana viaja 600 anos, descobre origem judaica e pode ser portuguesa

Jovem de 26 anos teve de recuar 600 anos na história da sua família para conquistar uma pátria. Espanha já a aceitou como cidadã. Em Portugal , o processo ainda está imerso na burocracia.

Foi uma viagem de mais de 600 anos que uma jovem de 26 anos – de uma família de refugiados palestinianos de terceira geração- , que se recusava a aceitar a falta de reconhecimento internacional da sua identidade, fez.

Ao fim de três anos de dedicação e depois do trabalho “excecional” de um advogado “teimoso”, Heba Iskandarani segura um passaporte espanhol desde o dia 12 de setembro deste ano. Em Portugal, o processo que dá também esperança ao pai e tio de Heba tem enfrentado vários entraves e dificuldades que se prendem “essencialmente com o excesso de burocracia e um atraso sem precedentes na tramitação dos processos”, explica a advogada Eva Garcia.

Leia mais em Diário de Notícias.

Artigos relacionados
MundoSociedade

Mais de 70 refugiados morrem em naufrágio na costa da Líbia

MoçambiquePolítica

Abatidos 36 terroristas em Cabo Delgado

BrasilMundo

Jornalistas perseguidos pelo mundo buscam refúgio no Brasil

Eleitos

É tempo de mudar

Assine nossa Newsletter