Pontapé de saída para eleições? Bolsonaro falou, Lula também e 2022 está logo ali - Plataforma Media

Pontapé de saída para eleições? Bolsonaro falou, Lula também e 2022 está logo ali

No dia da independência do Brasil, o antigo presidente surpreendeu ao discursar ao país cinco horas antes do atual chefe de estado. Apoiantes, observadores e população não têm dúvidas: a dois anos de distância, o pontapé de saída da eleição presidencial foi dado

Jair Bolsonaro converteu o coronavírus em arma de destruição em massa” e “subordinou o país aos Estados Unidos de maneira humilhante”, disse Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), em discurso nos seus perfis nas redes sociais, dia 7 de setembro, data da independência do Brasil.

Ao longo de quase 24 minutos, o presidente de 2003 a 2010 falou do financiamento do sistema nacional de saúde brasileiro, da Amazónia, do “furor privatista” do governo, da violência da polícia contra os negros – “quantos George Floyd já morreram no Brasil?” -, da perseguição a pesquisadores, professores e artistas e da nomeação de “centenas de militares” para cargos estratégicos numa “escalada autoritária” que lembra “os tempos sombrios da ditadura”.

Falou, enfim, de “um pesadelo que parece não ter fim desde 2018”, ano da eleição de Bolsonaro, “um mostrengo parido pelas oligarquias”.

E rematou: “O povo não quer revolver, quer comida (…) Nessa empreitada árdua, mas essencial, eu coloco-me à disposição do povo brasileiro, especialmente dos trabalhadores e dos excluídos”.

Dificilmente um candidato em campanha teve discurso tão de candidato como Lula a dois anos de uma eleição presidencial em que, à partida, até não pode concorrer – embora o Supremo Tribunal Federal (STF) venha dando sinais de que deve considerar o juiz Sergio Moro parcial no célebre caso do apartamento Tríplex no Guarujá e assim permitir a candidatura do antigo líder sindical, que fará 77 anos em outubro de 2022, data das eleições.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter