Vacina para Covid-19 chinesa é segura segundo fase 2 de ensaio clínico

Vacina para Covid-19 chinesa é segura segundo fase 2 de ensaio clínico

A fase 2 do ensaio clínico à vacina para a Covid-19 chinesa concluiu que a vacina é segura e induz uma resposta imune, de acordo um artigo publicado, segunda-feira, na revista médica The Lancet.

Os resultados agora fornecidos são de um grupo de participantes mais alargado que a fase 1 do ensaio, e que foi publicado em maio. A fase 1 do referido ensaio clínico envolveu 108 adultos saudáveis e demonstrou resultados promissores.

“A fase 2 acrecenta mais evidências de segurança e imunogenicidade num grupo maior de pessoas que a fase 1. É um passo importante na avaliação desta vacina experimental. Os ensaios de fase 3 já estão em andamento”, disse o professor Fengcai Zhu, do Centro Provincial de Controlo e Prevenção de Doenças de Jiangsu.

De acordo com a revista, o ensaio da vacina Ad5 Covid-19 foi realizado na cidade chinesa de Wuhan, com a participação de 508 pessoas. Dos participantes, cerca de 62% tinham idades compreendidas entre os 18 e 44 anos, 24% tinham entre 45 e 54 anos, e 13% tinha 55 anos ou mais.

Uma vez que os idosos enfrentam alto risco de desenvolver a forma grave da doença ou, até mesmo perigo de morte associada à Covid-19, são uma amostra-alvo importante para a vacina, disse o professor Wei Chen, do Instituto de Biotecnologia de Pequim.

“É possível que seja necessária uma dose adicional à população idosa para induzir uma maior resposta imunológica, mas ainda estão em curso investigações para avaliar essa questão”, disse Chen.

Na luta contra a covid-19, cientistas de todo o mundo correm contra o tempo para descobrir novos tratamentos e uma vacina. A China prometeu que a sua vacina será um bem público global assim que estiver disponível.

Vacina da Universidade de Oxford

Entretanto, a Inglaterra também está a progredir no desenvolvimento de uma vacina. Um outro estudo publicado segunda-feira na Lancet revela os resultados da fase 1/2 da vacina ChAdOx1 nCoV-19. Para ja, não há preocupações de segurança e produz uma forte resposta imunológica.

De acordo com a Universidade de Oxford, o ensaio envolve mais de 1000 adultos saudáveis voluntários. A vacina criou uma resposta das células T (glóbulos brancos que podem atacar as células infetadas com o vírus Sars-CoV-2) 14 dias após a vacinação, e uma resposta dos anticorpos 28 dias depois.

Apesar das descobertas promissoras, ainda é muito cedo para saber se são suficientes para oferecer proteção. Estão em curso ensaios maiores, dizem os cientistas envolvidos no estudo.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Related posts
MacauMundo

São ou não as vacinas perigosas a longo prazo?

MundoSociedade

Centro Europeu de Controlo de Doenças aceita vacinação em crianças

MundoSociedade

Especialistas recomendam autorização de pílula anticovid da Merck

MoçambiquePortugal

Embaixada de Portugal em Maputo anuncia voos de apoio ao regresso

Assine nossa Newsletter