Mulher negra foi pisada e arrastada na rua por polícia - Plataforma Media

Polícia Militar pisou no pescoço de uma mulher negra e arrastou-a pela rua

O agente da Polícia Militar usou de extrema violência para conter uma mulher negra, de 51 anos, durante uma desordem num bar propriedade da vítima, na zona sul de São Paulo

A comerciante, uma mulher negra de 51 anos, foi atendida em um hospital com ferimentos no rosto, nas costas e com a perna quebrada, depois de ter sido agredida por um elemento da Polícia MIlitar com extrema violência. Um vídeo gravado por moradores, exibido pelo Fantástico, da TV Globo, no domingo (12), mostra uma sequência de ações da Polícia Militar (PM) durante uma ocorrência na tarde de sábado, 30 de maio, em Parelheiros, por causa de um cliente que estacionou o veículo com som em alto volume, enquanto consumia no local.

A dona do bar, viúva, com cinco filhos e dois netos, foi agredida com extrema violência por um dos policiais ao tentar defender um amigo, que fora dominado pelo PM e estava imobilizado, no chão. Ela conta ao repórter da TV que pedia ao policial para não bater mais no homem, que segundo ela, já estava desfalecido, e tinha tomado joelhadas no rosto.

Foi nesse momento que o segundo policial, que estava armado, abordando outras pessoas, se aproximou da mulher negra e a empurrou para uma grade. A vítima relata que tomou três socos e foi derrubada com uma rasteira. Na queda, ela diz ter fraturado a tíbia.

O vídeo não mostra esta parte da cena, mas na sequência, a mulher aparece deitada de bruços, no meio-fio, ao lado de um carro, com o PM pisando seu pescoço. Ele chega a apoiar todo o peso do corpo sobre a vítima.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MundoPolítica

Quatro polícias franceses acusados por agressão brutal a produtor negro

BrasilSociedade

Artista negro morre baleado por polícia em São Paulo

MundoSociedade

França suspende polícias após agressão brutal a produtor musical negro que durou 20 minutos

BrasilSociedade

Juiz do Supremo exige que governo do Rio justifique operações policiais

Assine nossa Newsletter