Pescadores não vão ao mar em Cabo Delgado com medo de terroristas - Plataforma Media

Pescadores não vão ao mar em Cabo Delgado com medo de terroristas

São milhares os pescadores de Cabo Delgado, em Moçambique, que não estão a exercer as suas atividades devido aos ataques terroristas naquele local. A informação é do governo moçambicano, que estimam serem cerca de cinco mil pescadores afetados.

O governo de Moçambique estimava que a província de Cabo Delgado deveria produzir 40 mil toneladas de pesca por esta altura, mas a realidade é que os número são bem mais reduzidos devido à insegurança.

“Tradicionalmente contamos com distritos de Mocímboa da Praia, Palma, Macomia, como aqueles que tem uma maior densidade em termos de produção. Não podendo estar a produzir nos moldes em que deveriam dado as circunstâncias destes ataques terroristas, a nossa estratégia em mudar um pouco o foco e abordagem, olhar para os distritos como Metuge, Ibo e também ao próprio distrito de pemba que sabemos que tem algum potencial mas que eventualmente por varias razoes nunca tínhamos feito um investimento muito acentuado por sabermos que eventualmente havia outros distritos que tradicionalmente sempre contribuíram”, afirmou Augusta Maíta ministra do Mar, Águas Interiores e Pescas.

Face aos ataques e ao receio dos pescadores em irem para o mar, o governo decidiu avançar para a construção de tanques para peixes. “O projecto inicial previa 100 tanques, por tanto, nós começamos esta fase com 40 tanques piscícolas. Estamos a falar de tanques com uma dimensão de até quinhentos hectares, e nós esparamos no global que tenbhamos uma produção mais ou menos de 27 toneladas para todos os tanques operacionais”, explicou Augusta Maíta.

Related posts
MoçambiquePolítica

Violência em Cabo Delgado provoca erosão dos direitos humanos em Moçambique

MoçambiquePolítica

Cimeira da SADC para debater missão militar em Cabo Delgado

ChinaMoçambique

Gás natural em Moçambique: Projetos poderão ser substituídos pelo investimento chinês

Moçambique

Ataque no norte de Moçambique faz dois mortos e destrói casas

Assine nossa Newsletter