Guardiola deve deixar o City em 2023 e gostaria de comandar uma seleção

Guardiola deve deixar o City em 2023 e gostaria de comandar uma seleção

O técnico do Manchester City, Pep Guardiola, disse nesta quarta-feira que planeja deixar os ‘Citizens’ quando seu contrato terminar em 2023, e que pretende liderar uma seleção nacional

“Depois de sete anos nesta equipe, acho que vou dar um tempo”, disse o treinador de 50 anos em um evento online organizado pela empresa brasileira de serviços financeiros XP Investimentos e citado pela ESPN. 

E depois, “gostaria de comandar uma seleção em uma Eurocopa, Copa América ou Copa do Mundo”, disse o treinador, que acumula 31 títulos em 13 anos, e se diz pronto para dar “o próximo passo” em sua carreira.

Sobre a Copa América, garantiu: “Quero ter essa experiência”, quando terminar seu intervalo para descansar. 

Embora tenha descrito a seleção brasileira, a mais premiada na América do Sul, como “uma equipe fantástica”, ele não se projetou como técnico dos pentacampeões mundiais: “Acho que o Brasil sempre terá treinadores brasileiros, eles são muito bons. Acho que é muito difícil para os treinadores estrangeiros comandar as principais seleções do mundo”, disse ele. 

Guardiola conquistou o título da Premier League em três de suas cinco temporadas no comando do City e, no passado, levou o time à final da Liga dos Campeões, em que perdeu por 1 a 0 para o Chelsea.

Antes disso, ele venceu a Liga dos Campeões duas vezes com o Barcelona e também ergueu o troféu da Liga Espanhola três vezes com os catalães e além de três títulos da Bundesliga com o Bayern de Munique. 

Como jogador, ele conquistou a antiga Copa da Europa, a Recopa e seis títulos do campeonato espanhol com o Barça. No entanto, ele ainda não treinou nenhuma seleção nacional e nem ganhou um troféu internacional. 

O evento online desta quarta-feira também apresentou a ex-candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton e a ativista paquistanesa Malala Yousafzai, vencedora do Prêmio Nobel da Paz.

Related posts
Desporto

Superliga europeia com 60 a 80 equipas e sem membros permanentes

Desporto

Amrabat pode ser uma das surpresas do último dia de mercado

Desporto

Miura, o japonês "eterno" de 55 anos, vai jogar em Portugal

DesportoLusofonia

Futebol de língua portuguesa quer formação e partilha para diminuir assimetrias

Assine nossa Newsletter