"A China de hoje não é a antiga União Soviética nem quer ser outro Estados Unidos" - Plataforma Media

“A China de hoje não é a antiga União Soviética nem quer ser outro Estados Unidos”

O ministro de Relações Exteriores da China, Wang Yi, rejeitou a ideia de uma Guerra Fria 2.0 com os EUA. E diz que a China está pronta a negociar com a América, numa entrevista à agência de notícias Xinhua

“A China de hoje não é a antiga União Soviética e não tem intenção de se tornar outro Estados Unidos”, disse o chanceler chinês Wang Yi na entrevista de quarta-feira à agência de notícias Xinhua.

De realçar que a entrevista ao veículo chinês ocorre em um momento de tensão nas relações entre os dois países.

Recorde-se que nos últimos meses, Washington subiu o tom em relação ao país oriental, culpando-o pela pandemia do novo coronavírus. Criticou a repressão de Pequim aos protestos em Hong Kong e ameaçou impor restrições a companhias chinesas que operam no país.

Segundo Wang, há políticos americanos que são tendenciosos e hostis em relação à China e estão usando seu poder para obstruir as relações entre os dois países.

Na entrevista, o tom do chanceler foi o de estabelecer pontes, e ele se colocou à disposição para encontros com os EUA “em qualquer nível, sobre qualquer assunto” para tentar evitar mais conflitos entre as duas principais economias do mundo.

“Se a cooperação entre a China e os EUA fosse injusta e não recíproca, como poderia ter continuado por várias décadas? Como os laços entre a China e os EUA teriam percorrido esse longo caminho?”, questionou Wang.

Descrevendo a conduta de Washington em relação ao país como impulsiva, o chanceler instou os EUA a “estabelecer um diálogo de igual para igual”.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Este artigo está disponível em: English

Assine nossa Newsletter