Ameaças de morte marcam greve dos taxistas em Cacuaco - Plataforma Media

Ameaças de morte marcam greve dos taxistas em Cacuaco

Os taxistas da capital deixaram de circular no município de Cacuaco para reivindicar melhores paragens, uma vez que a Administração local determinou paragens que têm criado constrangimentos à classe, para além de o estado da via danificar as viaturas. Por causa da paralisação, o presidente da Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (ANATA) disse ter recebido ameaças de morte.

Depois de incansáveis encontros com a Administração de Cacuaco, por causa das novas paragens impostas, que dificultavam o trabalho dos taxistas e mototaxistas naquela circunscrição, eis que estes profissionais decidiram não frequentar, nos dias 8, 9 e 10 do corrente, o município supracitado.

A decisão de paralisação surge pelo facto de “não haver qualquer vontade”, da parte da Administração, de recuar ou devolver as paragens habituais aos taxistas. Assim, até ao Domingo, 7 de Junho, estava acordado, entre a Associação dos Taxistas de Angola (ATA), a Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (ANATA) e a Associação de Motoqueiros Transportadores de Angola (AMOTRANG), que não circulasse, durante estes três dias, nenhum taxista em Cacuaco.

Leia mais em O País

Related posts
AngolaPolítica

CNE entrega credenciais dos fiscais das formações políticas concorrentes

AngolaSociedade

Detidas duas mulheres por matarem os filhos em Luanda

AngolaSociedade

Voo experimental aterra no novo novo Aeroporto Internacional de Luanda

AngolaPolítica

Luanda. “O período de certificação de um aeroporto novo pode demorar entre 12 e 18 meses”

Assine nossa Newsletter