EUA dá luz verde para vacina da Pfizer a crianças de 5 a 11 anos

EUA dá luz verde para vacina da Pfizer a crianças de 5 a 11 anos

Cerca de 28 milhões de crianças com idades entre 5 e 11 anos já podem receber a vacina contra a covid-19 da Pfizer-BioNTech nos Estados Unidos, um novo passo na campanha de vacinação que muitos pais esperavam com impaciência

Os Centros para a Prevenção e o Controle de Doenças (CDC) deram seu aval oficialmente a este imunizante na noite desta terça-feira (2), depois da autorização no final da semana passada da Agência de Medicamentos dos Estados Unidos (FDA). 

A vacina sempre será aplicada em duas doses com três semanas de intervalo. A dose foi ajustada a 10 microgramas por injeção, menos do que os 30 microgramas por dose que os grupos de mais idade tomam.

“Sabemos que milhões de pais querem vacinar seus filhos”, admitiu Rochelle Walensky, diretora do CDC, em um comunicado, e qualificou o anúncio como um “passo importante” no combate à covid-19. 

“Como mãe, incentivo os pais que tenham perguntas a conversar” com os profissionais de saúde para “aprender mais sobre a importância da vacinação”, acrescentou.

Teoricamente, as primeiras injeções em crianças pequenas poderiam começar a ser aplicadas ainda na noite desta terça-feira.

O governo já tinha se antecipado em grande medida à decisão ao adquirir doses suficientes para imunizar todas as crianças deste grupo etário e ao começar a enviar milhões de doses para todo o país.

Desde a aprovação pela FDA na sexta-feira, “não houve um único momento em que as equipes não tenham recolhido, embalado e enviado as vacinas”, afirmou na segunda-feira o coordenador da pandemia na Casa Branca, Jeff Zients. 

A campanha de vacinação para crianças pequenas “alcançará sua capacidade máxima na semana de 8 de novembro”, calculou. 

“Um ponto de inflexão”

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, qualificou este passo de um “importante ponto de inflexão” na luta contra a pandemia de covid-19.

“Vai permitir aos pais pôr fim a meses de preocupação com seus filhos e reduzir a taxa com que as crianças transmitem o vírus para outros”, afirmou em um comunicado.

Entre as crianças de 5 a 11 anos, foram registrados mais de 1,9 milhão de casos de covid-19 nos Estados Unidos, mais de 8.300 hospitalizações, mais de 2.300 casos de MIS-C (síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica) e uma centena de falecidos.

Segundo testes clínicos feitos pela Pfizer em milhares de crianças, ficou demonstrado que a vacina tem eficácia de 90,7% na prevenção de formas sintomáticas da doença neste grupo etário.

Além de protegê-las de adoecerem, há outros benefícios como menos fechamentos de salas de aulas e uma possível redução na transmissão da pandemia na população em geral.

As doses estarão disponíveis em farmácias, hospitais pediátricos, consultórios de pediatras, médicos de família e algumas escolas.

Segundo uma pesquisa em setembro, realizada pelos CDC com consultas a mil pais, 57% disseram que “definitivamente” ou “provavelmente” vacinariam seus filhos.

“Se tivesse um neto, definitivamente o vacinaria”, disse Beth Bell, especialista em doenças infecciosas e membro do comitê de especialistas convocado pelos CDC, que recomendou de forma unânime a Pfizer para crianças de 5 a 11 anos.

“Temos uma evidência excelente de eficácia e segurança. Temos uma análise de risco-benefício favorável”, insistiu.

Related posts
MundoSociedade

Primeiros sinais de gravidade da ómicron são "encorajadores"

MacauTransportes

Recuperação de passageiros no aeroporto de Macau só em 2024

BrasilPolítica

EUA confiam plenamente que o Brasil terá eleições 'livres e justas'

MacauMundo

São ou não as vacinas perigosas a longo prazo?

Assine nossa Newsletter