Crónica Carlos Morais José

A irrelevância do solstício

Retiro o que dissera porque as palavras limitam-se a flutuar rio abaixo, obcecadas por uma deriva de perfeição. “Tu não existes”, dizias enamorada da frase rude como se eu ainda estivesse à tua frente. Certo. O que é isto de grunhir, soletrar ou escrever? Onde nos…
Crónica Carlos Morais José

Cá em baixo não há lugar

Sentado no café com a pose de quem é qualquer coisa além de si, meto o dedo no nariz e escarafuncho até encontrar um pedaço de cérebro mole que possa retirar sem afectar o que, eventualmente, me console. A mente é uma fronteira, daquelas feitas a risco, que não…
Crónica Carlos Morais José

Só respirar é importante

Não sei se algo vos posso dizer que não tenha já sido dito e redito. Ou escrito, ou talvez vomitado em rua escura, por um desses génios das lâmpadas LED que acentuam o negrume de almas chãs. Vagamundamos, as ditas redes, motores de busca, onde tudo e nada persistem…
Crónica Carlos Morais José

A morte escondida

Um dos aspectos mais sinistros das pestes é a ausência de funerais. Como se não bastasse a morte higienizada dos nossos tempos, solitária e oculta nos hospitais, longe dos entes queridos, sequer às mãos cruas de um inimigo, de espada na mão por uma qualquer causa…