Crónica Ana Sofia Fonseca

A moda das fake news

Cordas e mais cordas. Do ombro à barriga, o corpo em cordas. Todas as noites, o Velho das Cordas assomava à porta da minha avó, certo de um prato de comida e de um copo de vinho. As cordas pesavam-lhe o passo, vestiam o tronco. Comia em silêncio e desaparecia na…
Crónica Ana Sofia Fonseca

Homem-estátua

O homem é uma estátua. Imóvel. Nem um gesto. O corpo em perfeita quietude. Gorro encarnado e barbas brancas. A baixa lisboeta atulhada de gente, nas compras de Dezembro, e ele em cima de um banco de cozinha. Ontem, Rato Mickey; hoje, Pai Natal. Sempre estátua. Cada um…
Crónica Ana Sofia Fonseca

O grito de Cabo Delgado

Há gritos que o tempo não cala. As mãos atiram-se para a cabeça. O corpo foge inteiro para o olhar. Agiganta-se num grito: “O meu filho, o meu filho!” Um grito com 42 anos. Dois passos em frente. De repente, o corpo imóvel. Como é que se agarra o passado? Aquele…
Crónica Ana Sofia Fonseca

Cada número é uma pessoa

Uma flor verde e cor-de-laranja. Pontos imperfeitos em pano branco. Descobri-o há meia-dúzia de dias, no abismo do mudar de casa, dobrado em quatro, no fundo de uma gaveta. Por momentos, esqueci os caixotes e recordei o crochet desengonçado. “Toma. Para te lembrares do…
Crónica Ana Sofia Fonseca

Eu consigo respirar

A branca a comer a preta. Uma e outra vez. Sempre a branca a comer a preta. O António jogava damas. O dia inteiro, o tabuleiro no topo da mesa. Depois de almoço, as peças a moverem-se. Jogador solitário, senhor de brancas e de pretas. O digestivo, a batalha renhida e o…