Pub

Foi com estas palavras que a ministra da Saúde angolana descreveu ao DN as primeiras imagens ao chegar à Beira. No avião seguia também uma equipa de cem pessoas, militares e técnicos de saúde, e toneladas de medicamentos e mantimentos. Angola responde assim ao apelo internacional do país irmão e pede a outros Estados africanos que façam o mesmo.

Partilhar