Vem a funeral e acaba retido pelo SEF. Cabo-verdiano pondera processar Portugal

Lisboa, 22/01/2019 - Reportagem sobre o serviço da Graoudforce no Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa

(

Lisboa, 22/01/2019 - Reportagem sobre o serviço da Graoudforce no Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa. ( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Empresário foi retido no centro de detenção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras no aeroporto de Lisboa. Depois de esperar 12 horas por um visto de urgência, acabou por ser deportado porque o visto que trazia só era válido daí a dois dias.

Luciano Teixeira teve de viajar de urgência para Portugal na semana passada devido à morte de um amigo de infância. Quando chegou ao aeroporto de Lisboa, na terça-feira, o empresário cabo-verdiano percebeu que o visto que trazia só era válido a partir de quinta-feira e pediu um visto de dois dias no balcão do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

"No balcão, o funcionário disse que não havia problema e que estavam só à espera da Direção Nacional [do SEF] para autorizar o visto de dois dias, mas fiquei aí das 5h30 até às 19h00", conta.

Leia mais em TSF

Relacionadas

Exclusivos