Réu apanha 15 anos e deve devolver valores

Tribunal Provincial de Luanda

Tribunal Provincial de Luanda

Mendes Domingos Marçal, 32 anos, acusado de furto de 250 mil dólares e mais 200 mil euros, ao BNI, foi condenado a pena máxima de 15 anos pelo tribunal

O réu, que no momento do crime era técnico de cofre do banco BNI, foi, também, condenado ao pagamento de uma taxa de Justiça no valor de 100 mil kwanzas e obrigado a restituir o dinheiro furtado ao banco, em Maio de 2018.
Durante a leitura de sentença, que decorreu na 7ª Secção Sala dos Crimes Comuns do Tribunal Dona Ana Joaquina, o réu Mendes Domingos Marçal, em gesto de arrependimento, pediu desculpa ao Tribunal pelo comportamento.
O juiz esclareceu ao réu que "para o Tribunal não basta confessar o crime e pedir desculpa , mas sim devolver o dinheiro ao Banco de Negócios Internacional".
A pena máxima do crime de furto doméstico, plasmada no Código Penal vai de 12 a 16 anos de prisão maior, tendo o Tribunal aplicado ao réu Mendes Domingos Marçal a pena de 15 anos para reflectir sobre os prejuízos causados ao banco e aos clientes, bem como restituir o valor em causa ao BNI.

Leia mais em Jornal de Angola

Relacionadas

Exclusivos