Protestos obrigam a reforço policial de mil agentes reformados

Ação da polícia nos protestos de Hong Kong tem sido, diversas vezes, questiona. Ontem, não foi exceção

Ação da polícia nos protestos de Hong Kong tem sido, diversas vezes, questiona. Ontem, não foi exceção e o Plataforma Media esteve lá para comprovar

  |  Gonçalo Lobo Pinheiro

A polícia de Hong Kong planeia reforçar-se com mil agentes aposentados para aliviar a pressão ao nível de pessoal devido aos violentos protestos que duram há quase cinco meses, noticiou hoje o jornal South China Morning Post.

Este seria o maior reforço policial desde que as autoridades começaram a chamar polícias reformados em agosto.

"O destacamento dos ex-polícias não se limitará a [trabalhos como] varrer filmagens das câmaras de segurança, mas será organizado de acordo com as nossas necessidades operacionais", explicou uma das fontes citadas pelo diário e Hong Kong.

Ou seja, "poderiam ser colocados na linha de frente para lidar com manifestantes, se necessário, dependendo de suas habilidades e experiência", acrescentou a mesma fonte.

A polícia de Hong Kong tem cerca de 30 mil elementos e aguarda o financiamento do Governo para avançar com a campanha de recrutamento.

De acordo com documentação interna obtida pelo jornal, os anúncios de abertura de vagas vão ser publicados em novembro, com o processo de seleção a principiar no final do mês, devendo os 'novos' polícias iniciarem funções em março de 2020.

Relacionadas

Exclusivos