Procuradora nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus

Médium está detido desde 16 de dezembro em prisão preventiva

Médium está detido desde 16 de dezembro em prisão preventiva

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, enviou no sábado (5) à noite o seu parecer ao Supremo Tribunal Federal, defendendo que o pedido do médium João de Deus seja indeferido.

O parecer de Raquel Dodge foi emitido em resposta a uma solicitação do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tofolli, após novo pedido apresentado pela defesa de João Teixeira de Faria, o médium João de Deus.

Como fundamentação do pedido, os advogados do médium alegam que a prisão de Abadiânia, onde João de Deus se encontra detido desde 16 de dezembro, não tem cuidados de saúde adequados ao seu estado.

A decisão foi divulgada no sábado à noite pelo que João de Deus, detido por acusações de crimes de exploração sexual e violação, deverá continuar em prisão preventiva na unidade prisional de Abadiânia.

"Em nenhum dos atendimentos médicos registrados no relatório foi especificado algum problema de saúde do paciente que não possa ser acompanhado e tratado no estabelecimento prisional onde se encontra", diz Raquel Dodge no parecer, citado pela Agência Brasilo.

Relacionadas

Exclusivos