Primeiro-ministro moçambicano admite que número de vítimas pode aumentar

Vista aérea de Macomia, Cabo Delgado, Nordeste de Moçambique, 27 de abril de 2019. O ciclone Kenneth

Vista aérea de Macomia, Cabo Delgado, Nordeste de Moçambique, 27 de abril de 2019. O ciclone Kenneth foi o primeiro, desde que há registos, a atingir o Norte de Moçambique, onde provocou cinco mortos, segundo número oficiais e numa altura em que ainda decorrem levantamentos em zonas mais remotas. Quase 3.500 casas foram parcial ou totalmente destruídas, pelo menos 16 mil pessoas foram afetadas pelo ciclone e há mais de 18 mil pessoas em 22 centros de acomodação. FOTO OCHA/SAVIANO ABREU/LUSA

  |  LUSA

O ciclone Kenneth atingiu o norte de Moçambique, provocando pelo menos 38 vítimas mortais.

O número de mortos provocados pelo ciclone Kenneth no Norte de Moçambique pode aumentar acima dos atuais 38, admitiu o primeiro-ministro Carlos Agostinho do Rosário.

"Tanto o números de pessoas afetadas [cerca de 166.000] como de mortos podem ser um pouco superiores", referiu hoje o governante em conferência de imprensa, em Pemba, após uma visita de três dias à província de Cabo Delgado.

Leia mais em TSF

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG