ONG condena morte em manifestação e pede inquérito "transparente e conclusivo"

ONG condena morte em manifestação e pede inquérito "transparente e conclusivo"

A Liga Guineense dos Direitos Humanos condenou a morte de Demba Balde na sequência da manifestação da manhã deste sábado, em Bissau. A ONG pede a abertura de um inquérito para apurar responsabilidades.

Um morto, dois feridos e três detidos. É este o resultado do confronto entre a polícia guineense e milhares de manifestantes que na manhã deste sábado tentaram manifestar-se contra a forma como estão a ser organizadas as eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro.

Um balanço que levou a Liga Guineense dos Direitos Humanos a "condenar severamente a morte do cidadão nacional Demba Balde na sequência dos acontecimentos de hoje, em circunstâncias ainda por esclarecer".

Através de comunicado, a ONG repudiou ainda "a atuação desproporcional das forças de segurança contra os manifestantes, que pretendiam apenas exercer um direito fundamental constitucionalmente assegurado a todos os cidadãos".

A Liga pede "a abertura de um inquérito, célere, transparente e conclusivo, tendente a identificação e responsabilização criminal de autores morais e materiais implicados na morte do cidadão Demba Balde, assim como de todas as vitimas da repressão policial". E exorta ainda o Ministério Público a abrir um inquérito interno para "apurar as circunstâncias em que foram utilizadas a força policial contra os manifestantes, e, punir exemplarmente os autores de comportamentos violentos".

A manifestação, proibida pelo Governo por não ter sido marcada com uma antecedência mínima de quatro dias úteis foi organizada pelo Partido da Renovação Social (PRS), Movimento pela Alternância Democrática (Madem-G15) e Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático Guiné-Bissau (APU-PDGB).

A Guiné-Bissau tem eleições presidenciais marcadas para dia 24 de novembro, mas a instabilidade política no país já levou União Europeia e ONU a alertarem os principais atores políticos para a necessidade de estabilidade para que as eleições se realizem na data marcada.

Para além da manifestação deste sábado, na noite de segunda-feira, o primeiro-ministro Aristides Gomes, denunciou uma tentativa de golpe de Estado.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG