Premium O luxo do novo templo mórmon onde não crentes ficam à porta

O primeiro templo mórmon construído em Portugal é hoje inaugurado oficialmente em Lisboa (Parque das Nações). A obra - com 41 metros de altura, desde a base até à estátua do anjo Moroni, num pináculo folheado a ouro -, fecha agora, e para sempre, ao público que, livremente, pôde visitar toda a sua imponência nos últimos 15 dias de agosto. De hoje em diante, apenas os fiéis com cartão de recomendação entram.

Quem lá entrou ficará, certamente, com a memória de um ambiente de luxo que remete para um hotel de cinco estrelas, onde nada ficou ao acaso. Os mármores da Turquia, as alcatifas, os tapetes de lã, os vitrais com padrões gravados com folha dourada, os lustres com milhares de peças da Swarovski, uma pia batismal assente em 12 bois de bronze, levanta, inevitavelmente, a questão do custo. Mas ninguém ali revela quanto se investiu o templo.

"É o edifício mais importante da nossa igreja e a qualidade tem de ser a mais elevada possível, porque é o local mais adorado pelos fiéis", justificou Paulo Adriano, diretor nacional de comunicação, acrescentando que não revelará quanto custou a construção, porque "a igreja não quer centrar-se na questão do dinheiro".

Leia mais em Jornal de Notícias

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Exclusivos