"Não há só uma ameaça aos ursos polares, há uma ameaça à humanidade"

António Costa

António Costa

  |  EPA

O primeiro-ministro insistiu que a energia renovável "pode ser uma energia mais barata" e apelou à união dos países para a transição energética.

O primeiro-ministro, António Costa, alertou hoje em Madrid os cerca de 50 líderes mundiais presentes na sessão da abertura da cimeira sobre as alterações climáticas que o tempo é "curto", havendo o "dever imperioso de agir".

"Temos dois deveres, ouvir os cientistas e o dever imperioso de agir" para salvar o planeta das consequências das alterações climáticas, disse António Costa na Cimeira de Chefes de Estado e de Governo que se seguiu à sessão de abertura da cimeira das Nações Unidas sobre alterações climáticas, conhecida como COP25, que irá decorrer até 13 de dezembro na capital espanhola.

Leia mais em TSF

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG